Geral

Investigador da Derf morto por bandidos era admirado e deixa três filhos

Segundo colegas de polícia, Dirceu Rodrigues dos Santos, lotado na Delegacia Especializada em Roubos e Furtos (Derf) que foi morto em uma emboscada durante uma investigação de roubo de uma joia avaliada em R$ 80 mil, era um policial exemplar. O velório do agente está acontecendo na Funerária Campo Grande, Rua 13 de Maio, no […]

Arquivo Publicado em 29/01/2014, às 13h13

None
473086406.jpg

Segundo colegas de polícia, Dirceu Rodrigues dos Santos, lotado na Delegacia Especializada em Roubos e Furtos (Derf) que foi morto em uma emboscada durante uma investigação de roubo de uma joia avaliada em R$ 80 mil, era um policial exemplar. O velório do agente está acontecendo na Funerária Campo Grande, Rua 13 de Maio, no bairro São Francisco.

Vários colegas do policial, que não quiseram se identificar, afirmaram que ele gostava de atuar na polícia. “Você percebe que ele era conhecido e todos que falam dele, falam com carinho. Ele era um grande amigo de todos e gostava muito da polícia”. O investigador deixa três filhos.

No momento da operação Dirceu estava com outro policial, identificado como Osmar Ferreira, que também foi agredido pelos bandidos.Foi socorrido e encaminhado para o ProntoMed da Santa Casa e recebeu alta nesta manhã.

O caso

De acordo com a polícia, os agentes tinham a informação de que a joia estaria em uma casa e foram até lá. Lá, eles foram surpreendidos por essas 10 pessoas, que armaram uma emboscada. O assassinato aconteceu na Rua dos Topógrafos, Bairro Campo Nobre, em Campo Grande.

Como tinha entrado na casa, Osmar foi agredido fisicamente. Em um determinado momento, um dos bandidos saiu da casa e alvejou o Dirceu com três tiros,  na testa, na nuca e na barriga.

Jornal Midiamax