Horário eleitoral pode ter aeroporto X Petrobrás

O horário eleitoral gratuito, que começa a ser transmitido em cadeia nacional de rádio e televisão a partir do dia 19 de agosto, deve trazer uma disputa de denúncias entre os dois principais candidatos, a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, e o presidenciável pelo PSDB, senador Aécio Neves. O candidato tucano estuda […]
| 13/08/2014
- 00:31
Horário eleitoral pode ter aeroporto X Petrobrás

O horário eleitoral gratuito, que começa a ser transmitido em cadeia nacional de rádio e televisão a partir do dia 19 de agosto, deve trazer uma disputa de denúncias entre os dois principais candidatos, a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, e o presidenciável pelo PSDB, senador Aécio Neves.

O candidato tucano estuda a possibilidade de incluir em seus programas, que já começaram a ser gravados, denúncias que envolvam a Petrobras, alvo de duas CPIs no Congresso. A presidente da estatal, Graça Foster, chegou a ter cogitado a saída do cargo caso o TCU (Tribunal de Contas da União) decidisse bloquear seus bens.

“Não há ainda uma definição específica sobre o tema Petrobras. Mas ela entra no diagnóstico do quanto faz mal ao País o aparelhamento da máquina pública em benefício de um projeto de poder, não de um país”, disse Aécio no fim de semana, em passagem por Manaus (AM).

“O governo dito nacionalista é o governo que mais fragilizou nossas principais empresas. Eletrobras quebrada e a Petrobras nessa situação que está hoje”, acrescentou. O tucano é crítico ferrenho da gestão da empresa pelo governo do PT e reforça com frequência o discurso de que pretende “reestatizar” a companhia.

Do lado da presidente Dilma, também devem vir disparos no período de propaganda eleitoral. O tema que mais tem sido abordado contra o presidenciável tucano é a construção de um aeroporto no município de Cláudio (MG) em terras que pertenceram à família de Aécio, quando ele foi governador de Minas Gerais.

A avaliação interna na campanha de Dilma, coordenada pelo presidente do PT, Rui Falcão, é que o abalo na imagem do tucano com o episódio foi apenas “leve”. Por isso, estrategistas da reeleição estão estudando um caminho para utilizar o tema na propaganda gratuita, sem que isso pareça um ataque gratuito.

Antes mesmo do programa eleitoral, o PT buscou outras formas de manter o tema em discussão permanente, como na ação judicial movida contra o candidato por improbidade administrativa e por colocar em risco o tráfego aéreo, ao pousar em uma pista não homologada pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). O PT terá 11 minutos diário da propaganda eleitoral.

Últimas notícias