Espaço cultural é inaugurado no Memorial Indígena com exposição fotográfica de cinco etnias

O espaço turístico-cultural “Nosso povo, nossa terra, nossos índios” foi inaugurado nesta quinta-feira (14), no Memorial Indígena da aldeia urbana Marçal de Souza, com acervo fornecido por artistas e pesquisadores locais e a colaboração do Museu Nacional do Índio, do estado do Rio de Janeiro. As fotografias retratam o cotidiano das nações Terena, Kadiwéu, Guató, […]
| 14/08/2014
- 21:19
Espaço cultural é inaugurado no Memorial Indígena com exposição fotográfica de cinco etnias

O espaço turístico-cultural “Nosso povo, nossa terra, nossos índios” foi inaugurado nesta quinta-feira (14), no Memorial Indígena da aldeia urbana Marçal de Souza, com acervo fornecido por artistas e pesquisadores locais e a colaboração do Museu Nacional do Índio, do estado do Rio de Janeiro. As fotografias retratam o cotidiano das nações Terena, Kadiwéu, Guató, Ofaié e Guarani presentes em várias regiões de Mato Grosso do Sul.

Para o titular da Sedesc (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Turismo e do Agronegócio), Edil Albuquerque, a exposição dará visibilidade ao turismo, além de favorecer a aproximação dos povos indígenas moradores na Capital. “O memorial indígena de Campo Grande é referência do turismo local e esta exposição permanente, com certeza atrairá a população a conhecer mais da história dos povos indígenas que aqui habitam. É importante lembrar que nosso Estado abriga a segunda maior população indígena do país e, por isso, é essencial preservarmos sua memória”, argumentou.

A cacique da aldeia urbana Marçal de Souza, Enir Bezerra agradeceu o apoio do poder público. O local recebe muitas visitas nacionais e internacionais, interessadas em pesquisar a memória das populações indígenas do Estado. “A exposição aberta hoje vai incrementar ainda mais o espaço que recebe visitantes de outros estados e países, colaborando também para o aumento da venda dos artesanatos. Atualmente, 20 artesãos deixam aqui a produção para ser comercializada, garantindo assim, grande parte da renda familiar”, pontuou.

Na avaliação da coordenadora do espaço, Alice de Oliveira Silva, os artistas e pesquisadores que doaram as fotografias foram essenciais para criação do acervo. “Estamos muito satisfeitos com a participação dos colaboradores, que cederam registros importantes como dos índios Ofaié e Guarani-Caiuás. O nosso diferencial é a produção de artesanato, mas a exposição atrairá ainda mais pessoas interessadas em conhecer a cultura dos nossos irmãos indígenas”, destacou. Entre os colaboradores do acervo fotográfico estão Lelo Marchi, Rômulo Cabral de Sá, Suki Ozaki, Carlos Dutra, Daiane Amaral dos Santos e o Museu Nacional do Índio, no Rio de Janeiro.

O acadêmico do curso de Ciências Sociais da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Lelo Marchi colaborou com as fotos registradas durante pesquisa de iniciação científica realizada no município de Rio Brilhante.

O Memorial Indígena está localizado na aldeia urbana Marçal de Souza que fica na Rua Terena s/n, Bairro Tiradentes. O horário de funcionamento é de segunda a sábado, das 8horas às 18horas. Informações ou agendamento de visitas podem ser feitos pelo telefone (67) 3314-3544.

Veja também

Fenômeno foi constatado na galáxia Grande Nuvem de Magalhães

Últimas notícias