Envolvido na morte de PM, “Alexandrinho”, permanece interado na UTI da Santa Casa

Alexandre Barreto de Castro, o “Alexandrinho”, suspeito de envolvimento na morte do soldado da Polícia Militar Rony Maickon Varoni de Moura da Silva, permanece internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) da Santa Casa de Campo Grande. Alexandre foi ferido por tiros ao reagir à prisão, no Bairro Nova Lima, em Campo Grande, no dia […]
| 05/08/2014
- 01:19
Envolvido na morte de PM, “Alexandrinho”, permanece interado na UTI da Santa Casa

Alexandre Barreto de Castro, o “Alexandrinho”, suspeito de envolvimento na morte do soldado da Polícia Militar Rony Maickon Varoni de Moura da Silva, permanece internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) da Santa Casa de Campo Grande.

Alexandre foi ferido por tiros ao reagir à prisão, no Bairro Nova Lima, em Campo Grande, no dia 26 de julho.  No dia 28, ele passou por uma operação na região do tórax e continuava inconsciente.

Assalto

Alexandre é suspeito de participar do assalto que terminou na morte do policial militar Rony Maickon Varoni de Moura da Silva, no dia 3 de junho, na rotatória do Indubrasil, saída para Aquidauana.

Ele mais três comparsas estariam em duas motocicletas quando abordaram o veículo do PM, um Saveiro, para roubar um malote de uma empresa de bebidas, que era transportado por Rony e um colega, cabo da PM.

Durante as buscas pelos ladrões, a polícia recebeu uma denúncia, quatro dias após o crime, que os suspeitos estariam no Bairro Aero Rancho, região sul de Campo Grande. Ao chegar ao local, eles foram recebidos com tiros. Houve um conflito e um adolescente de 17 anos foi morte.

Houve perseguição de outros dois comparsas que foram presos no dia seguinte, na BR-262, em Guia Lopes da Laguna pela PRF (Polícia Rodoviária Federal), Kelvin Wilian Santa Rosa, de 22 anos e Rafael Fernandes de Quadros, de 23 anos.

Veja também

Fenômeno foi constatado na galáxia Grande Nuvem de Magalhães

Últimas notícias