Com saúde delicada em virtude da diabetes, Paulo Gê ganha Sarau Solidário de amigos

Amigos de palco e da vida, Zé Geral, Beko Santanegra e Paulo Gê já tocaram muito juntos. Quem tem mais de 30 anos, com certeza se lembra deles e de muitos outros artistas mostrando sua música no Sarau do Zé Geral, na Rua 13 de Maio, nos idos dos anos 90/2000. A música sempre foi […]
| 21/08/2014
- 22:50
Com saúde delicada em virtude da diabetes, Paulo Gê ganha Sarau Solidário de amigos

Amigos de palco e da vida, Zé Geral, Beko Santanegra e Paulo Gê já tocaram muito juntos. Quem tem mais de 30 anos, com certeza se lembra deles e de muitos outros artistas mostrando sua música no Sarau do Zé Geral, na Rua 13 de Maio, nos idos dos anos 90/2000.

A música sempre foi o elo dos artistas. E hoje, impossibilitado de tocar em virtude da diabetes, os amigos preparam saraus e prometem um grande show para o fim do ano, para arrecadar fundos e custear o tratamento do músico.

Zé Geral diz que assim como ele, Paulo Gê vive das aulas de música e de shows. “Não estamos inseridos em nenhum projeto de governo. Essa dependência do dinheiro público se profissionalizou. Não importa se você tem talento, importa se a documentação está certa”, critica a burocratização.

E com a doença, ficou impossibilitado de tocar, e logo trabalhar. “Ele está com diabetes e precisou amputar três dedos. Tem de ficar sem trabalhar até fevereiro. Por isso, decidimos fazer os saraus e o show para custear o tratamento dele”, diz.

O dinheiro, também é para ajudar no pagamento das contas mensais.

Emocionado

Emocionado, Paulo Gê diz estar muito agradecido aos amigos. Ela diz que a doença o pegou de surpresa e não imaginava que ficaria em uma situação tão delicada. “O Beto está fazendo uma ação na internet, e o Zé propôs o sarau. Doença pega a gente de calça curta. E quando a coisa vem a gente nem imagina. Tive três dedos amputados e só vou poder voltar a trabalhar em fevereiro”, conta.

“Não posso esperar tudo isso no ócio. Não tenho renda para isso”, emenda, agradecendo que o show coletivo com os artistas da época, vai ajudá-lo a pagar as contas e o tratamento de saúde. “Estou em uma situação de necessidade mesmo, os remédios são muito caros. Graças a Deus tenho amigos”, finaliza.

Quem quiser ajudar com qualquer quantia a conta de Paulo Gê é: Paulo Gonçalves da Silva, agência: 0017, conta poupança: 214057-2, operação: 013, Caixa Econômica Federal.

Últimas notícias