Secretário do Futebol lamenta briga e diz que fim de organizadas não resolve

A briga generalizada entre torcedores de Atlético-PR e Vasco foi assunto na abertura do Footecon, fórum esportivo realizado no Rio de Janeiro, na manhã desta terça-feira. Representante do governo, o secretário nacional de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor, Antônio José Carvalho do Nascimento Filho, classificou o confronto de Joinville como um ‘vexame’, mas […]
| 10/12/2013
- 17:28
Secretário do Futebol lamenta briga e diz que fim de organizadas não resolve

A briga generalizada entre torcedores de Atlético-PR e Vasco foi assunto na abertura do Footecon, fórum esportivo realizado no , na manhã desta terça-feira. Representante do governo, o secretário nacional de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor, Antônio José Carvalho do Nascimento Filho, classificou o confronto de Joinville como um ‘vexame’, mas disse que a extinção das organizadas não é a solução.

“A solução não é exterminar. Temos entre 1 e 2 milhões de torcedores em organizadas no Brasil. Não acredito que sejam 2 milhões de bandidos. Mas os clubes têm responsabilidade, as federações têm responsabilidade, o governo tem responsabilidade. A gente tem mania de achar que tem que criar novas leis, mas ela está lá, é só cumprir. Tivemos três presos apenas”, criticou o secretário na abertura do evento.

Toninho Nascimento também confirmou que o Ministério do Esporte fará uma reunião com diversas entidades na próxima quinta-feira para traçar diretrizes para resolver o problema da violência. CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público, CNJ (Conselho Nacional de Justiça), CBF, clubes, federações e a PGR (Procuradoria Geral da República) foram convidados para o encontro em .

 

“O governo está preocupado com o que aconteceu. É um vexame. É inadmissível o que está acontecendo. Hoje recebi a ligação de vários líderes de organizadas preocupados, achando até que o melhor caminho é a punição total das torcidas envolvidas. Preocupados que se coloquem todos no ‘mesmo saco'”, declarou Nascimento.

No jogo do último domingo, torcedores de Atlético-PR e Vasco começaram a brigar nas arquibancadas do estádio, que contava apenas com seguranças contratados do lado de dentro. Quatro pessoas foram encaminhadas para o hospital – apenas uma segue internada – e outras três foram detidas e transferidas para o presídio regional de Joinville.

O secretário, porém, defendeu que as torcidas envolvidas no confronto sejam identificadas e punidas. Ele também criticou a estratégia adotada para a partida na Arena Joinville e disse que a presença da polícia dentro dos estádios é necessária.

 

“Acho que as torcidas que participaram, e claramente é possível saber quais foram, têm que ser punidas duramente. E Joinville tem que ser usado como exemplo do que não fazer, de tudo que foi errado. Quatro seguranças para separar uma torcida, quatro para outra, em um jogo com histórico de confronto é algo inacreditável. Tem que conhecer e estudar futebol, não pode tratar como improviso”.

Veja também

Confira o filme publicitário comemorativo dos 46 anos de MS, com narração do cantor Paulo Simões, compositor de "Trem do Pantanal"

Últimas notícias