Geral

Ministério da Saúde aponta nove municípios como prioritários em MS para receber o ‘Mais Médicos’

Uma planilha divulgada pelo Ministério da Saúde na semana passada aponta que nove municípios de Mato Grosso do Sul são tratados como prioritários pelo órgão para receber profissionais do programa federal Mais Médicos. De acordo com o relatório, Campo Grande, Corumbá, Japorã, Mundo Novo, Paranhos, Ponta Porã, Porto Murtinho, Sete Quedas e Tacuru, possuem maior […]

Arquivo Publicado em 18/07/2013, às 14h30

None

Uma planilha divulgada pelo Ministério da Saúde na semana passada aponta que nove municípios de Mato Grosso do Sul são tratados como prioritários pelo órgão para receber profissionais do programa federal Mais Médicos.


De acordo com o relatório, Campo Grande, Corumbá, Japorã, Mundo Novo, Paranhos, Ponta Porã, Porto Murtinho, Sete Quedas e Tacuru, possuem maior vulnerabilidade. Dourados ainda não é prioridade nesse caso.


Apesar da informação, nada impede que o maior município do interior do Estado fique fora do programa.


Em contato com a assessoria de imprensa do Ministério da Saúde, foi informado que todas as cidades poderão realizar o cadastro, porém, serão dadas preferência às citadas.


“Será realizado o levantamento dos locais e dos profissionais cadastrados, depois começaremos mapear as áreas para onde serão destinados os médicos. A previsão é dar início aos trabalhos em setembro”.


Ainda não há dados concretos sobre quantos municípios sul-mato-grossenses já aderiram ao programa faltando menos de uma semana para o encerramento das inscrições (25 de julho), e nem o número de médicos postulante às vagas por Estado.


Ontem (17), o Ministério da Saúde divulgou nota afirmando que 11.701 profissionais haviam aderido ao programa federal. Do total, 9.366 se formaram no país e outros 2.335 no exterior – 935 de nacionalidade estrangeira. Também foi confirmado que 753 municípios realizaram as inscrições.


Ainda conforme o governo federal, os médicos participantes receberão bolsa federal de R$ 10 mil, paga pelo Ministério da Saúde, ajuda de custo e farão especialização em Atenção Básica.


O programa integra um amplo pacto de melhoria do atendimento aos usuários do SUS (Sistema Único de Saúde), com objetivo de acelerar os investimentos em infraestrutura nos hospitais e unidades de saúde, além da chamada de médicos com foco nas regiões de maior vulnerabilidade social.

CENTRO-OESTE


Na região Centro-Oeste o Estado de Goiás foi identificado com 23 municípios tidos como prioritário pelo Ministério da Saúde. Já o Mato Grosso possui 13, segundo a planilha apresentada pelo órgão. No Distrito Federal, apenas Brasília.


.

Jornal Midiamax