Geral

Cuca teme que pressão por título se torne ‘peso nos ombros’ atleticanos

Em sua primeira decisão de Libertadores, o técnico Cuca não esconde a ansiedade pelo início da disputa e observa que as horas estão demorando a passar até chegar o horário do jogo com o Olimpia, nesta quarta-feira, às 21h50, no Estádio Defensores del Chaco. “Bom é amanhã (quarta-feira), hoje (terça-feira) é ruim, demora muito para […]

Arquivo Publicado em 17/07/2013, às 17h25

None
288377628.jpg

Em sua primeira decisão de Libertadores, o técnico Cuca não esconde a ansiedade pelo início da disputa e observa que as horas estão demorando a passar até chegar o horário do jogo com o Olimpia, nesta quarta-feira, às 21h50, no Estádio Defensores del Chaco. “Bom é amanhã (quarta-feira), hoje (terça-feira) é ruim, demora muito para passar o tempo. Estamos preparados para jogar, queremos que chegue a hora do jogo”, disse.


Se o tempo está andando devagar demais para o gosto do treinador atleticano, um outro aspecto o preocupa: a pressão que se formou em torno do time atleticano pelo fato de nunca ter chegado tão próximo de uma conquista importante como o título da Libertadores.


O treinador reconheceu que vive momento de expectativa na carreira e até ansiedade pela decisão da competição sul-americana, contra o Olimpia, nesta quarta-feira. “Esperei tanto para chegar à final da Libertadores, consegui uma semifinal pelo São Paulo, mas Deus queira que a gente possa conquistar”, comentou Cuca.


O técnico referiu-se à semifinal em que o São Paulo foi eliminado pelo Once Caldas. Cuca e o Atlético poderão dar passo importante nesta quarta-feira para conquistar o primeiro título da Libertadores. O time enfrenta o Olimpia no estádio Defensores del Chaco.


O elenco atleticano deixou Belo Horizonte na noite de segunda-feira e contou com grande festa de torcedores para se despedirem do time, em Confins. Até com sinalizadores, bandeiras e adereços do clube, os torcedores passaram a mensagem final para os atletas.


Cuca aprovou a iniciativa, mas reconheceu que a pressão em cima do time mineiro pelo título da Libertadores tem sido grande. “A gente sentiu no aeroporto o calor, energia, vontade que os torcedores nos passam, a pressão da conquista”, disse.


“Mas a gente não pode pegar o peso e jogar nas costas e pronto, a gente veio para a final com responsabilidade, mas sem peso de vencer. Vamos jogar com bastante naturalidade”, acrescentou Cuca.

Jornal Midiamax