Geral

Cheque devolvido cresce 1,73% em Mato Grosso do Sul no ano passado

Economista aponta que elevação da inadimplência do consumidor foi fator determinante para o aumento de cheques sem fundos

Arquivo Publicado em 23/01/2013, às 15h17

None
1216631092.jpg

Economista aponta que elevação da inadimplência do consumidor foi fator determinante para o aumento de cheques sem fundos

O Serasa Experian divulgou nesta terça-feira (23), o percentual de cheques sem fundos no ano de 2012. Em Mato Grosso do Sul, foram devolvidos, pela segunda vez por insuficiência de fundos, 1,73% dos cheques compensados. Em todo o país, o percentual foi de 2,02%. Esse foi o maior percentual de devolução desde 2009, quando houve 2,15% de devoluções.

Para o economista Carlos Henrique de Almeida, da Serasa Experian, a elevação da inadimplência do consumidor foi fator determinante que comprometeu a capacidade de pagamento do tomador de crédito, incluindo o do pré-datado. “Desde 2010, o consumidor vem ampliando o seu endividamento. A devolução dos cheques segue bem de perto a evolução de inadimplência e o maior comprometimento da renda do brasileiro”, explicou.

Os cheques sem fundos experimentaram três diferentes momentos em 2012: de janeiro a maio, de junho a setembro e de outubro a dezembro. De janeiro a maio ocorreram seguidas elevações no número de cheques devolvidos. “Esse período refletiu as dificuldades do consumidor em honrar os cheques pré-datados emitidos no Natal/2011, juntamente com as despesas típicas de início de ano (IPTU, IPVA e despesas escolares)”, afirmou Almeida.

O período de junho a setembro foi marcado por quedas no volume de cheques devolvidos, segundo o economista, reflexo do recuo da inadimplência do consumidor, que, por estar endividado, consumiu e financiou menos.

O último trimestre do ano voltou a ter crescimento no volume de cheques sem fundos. Em dezembro foram 2,04% de cheques desenvolvidos, percentual maior que o 1,99% de devolução, observado em dezembro de 2011. “O quadro se deve as datas comemorativas de Dia das Crianças e Natal, em que o consumidor já endividado comprometeu mais seu dinheiro adquirindo presentes”, afirmou.

Renato Paniago, diretor do SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), administrado pela Acicg (Associação Comercial e Industrial de Campo Grande) ressalta que para evitar prejuízos os lojistas devem recorrer às consultas no órgão. “O empresário tem ferramentas para se precaver, consultando o histórico financeiro do cliente e assim ao saber da negativação, dos números de cheques devolvidos ou não, pode tomar a melhor decisão na hora de realizar a negociação”, orientou.

De acordo com o Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos, em 2011, o percentual foi menor do que o de 2012, já que foram devolvidos 1,69% no Estado.

Jornal Midiamax