Geral

Bellucci bate bola com crianças no Chile e pode pegar ex-top 10

Eliminado na segunda rodada do Aberto da Austrália pelo francês Gael Monfils, Thomaz Bellucci já está no Chile para disputar seu terceiro torneio do ano – o primeiro em quadras de saibro, nas quais é especialista. Neste sábado, o brasileiro bateu bola com crianças para promover o ATP 250 de Viña Del Mar e conheceu […]

Arquivo Publicado em 28/01/2012, às 18h48

None
Eliminado na segunda rodada do Aberto da Austrália pelo francês Gael Monfils, Thomaz Bellucci já está no Chile para disputar seu terceiro torneio do ano – o primeiro em quadras de saibro, nas quais é especialista. Neste sábado, o brasileiro bateu bola com crianças para promover o ATP 250 de Viña Del Mar e conheceu a chave do torneio, do qual será o terceiro pré-classificado.
Bellucci, 37º colocado do ranking mundial, só está atrás dos argentinos Juan Mónaco, o 27º, e Juan Ignacio Chela, o 29º, entre os inscritos na competição que começa nesta segunda-feira. O brasileiro deve entrar em quadra apenas na quarta ou na quinta, visto que recebeu um bye na primeira rodada, entrando de forma adiantada na chave e estreando diretamente na segunda fase.
Seu adversário será o vencedor da partida entre o chileno Nicolás Massú, convidado da organização, e um atleta oriundo do torneio qualificatório. Massú, 32 anos, é apenas o 447 do mundo, mas foi o nove em 2004, quando ganhou a Olimpíada de Atenas.
Até lá, o paulista, que chegou a Viña Del Mar na última sexta-feira, seguirá treinando com seu novo técnico, o argentino Daniel Orsanic. “É bom chegar com dias de antecedência, já que as condições de jogo comparadas a São Paulo (onde Bellucci treinou na última semana) são bem distintas. Thomaz está treinando muito bem e quer fazer um bom torneio no Chile”, afirma Orsanic, que substituiu Larri Passos em dezembro passado.
Neste sábado, o brasileiro participou do Kid’s Day, evento com crianças cujo objetivo é promover a competição, ao lado de outros tenistas como Massú, o colombiano Santiago Giraldo, o argentino Leonardo Mayer e o português Frederico Gil.
“O contato com as crianças é sempre muito legal. Elas nos passam uma energia boa. Espero começar bem a gira de saibro aqui para chegar confiante ao Brasil Open”, diz Bellucci, de olho no evento marcado para o Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, com início em 13 de fevereiro.
O atleta tem um bom retrospecto no Chile, onde conquistou o segundo título da carreira, em 2010, batendo Mónaco na final. Na época, porém, a competição era realizada em Santiago, em uma altitude de pouco mais de 500 m. Neste ano, o torneio retorna a Viña del Mar, cidade litorânea onde o também brasileiro Gustavo Kuerten já triunfou – em 2000.
Mello e Feijão conhecem adversários
Assim como Bellucci, os brasileiros Ricardo Mello e João Souza, o Feijão, também entraram diretamente na chave principal do ATP 250 do Chile. Mello, 108º colocado do ranking, deu-se bem no sorteio e estreará contra um qualifier. Já Feijão, o 108º da lista, pegará o italiano Filippo Volandri, cabeça-de-chave oito do torneio e número 72 do planeta.
Jornal Midiamax