Geral

Após incêndio no Paulistão, bombeiros e Defesa Civil farão vistorias em lojas e casas na região

Incêndio ocorrido na manhã desta quinta-feira danificou toda a estrutura do imóvel na avenida Costa e Silva. A intenção é fazer um levantamento da situação do comércio local e casas vizinhas.

Arquivo Publicado em 06/12/2012, às 17h56

None
893195599.jpg

Incêndio ocorrido na manhã desta quinta-feira danificou toda a estrutura do imóvel na avenida Costa e Silva. A intenção é fazer um levantamento da situação do comércio local e casas vizinhas.

A partir de amanhã, os estabelecimentos comerciais existentes ao redor do Paulistão, na avenida Costa e Silva, serão vistoriados pelo Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil. A informação é do tenente-coronel Robinson Moreira, comandante do 1° Grupamento dos Bombeiros, em Campo Grande.


A medida de segurança ocorrerá por conta do incêndio da loja, que danificou toda a estrutura e possivelmente atingiu os locais próximos. “Vamos fazer um levantamento das casas e comércios vizinhos. Alguns prédios, por exemplo, já sabemos que estão comprometidos por conta das chamas”, afirma o comandante Moreira.


Até o momento, já são mais de sete horas de trabalho ininterrupto. “Utilizamos mais de 200 mil litros de água e agora estamos apagando o fogo do depósito, que está cheio de descartáveis. A avaliação ainda será feita em todo o local, mas previamente já podemos verificar que as colunas que poderiam sustentar a loja estão fechadas”, garante Moreira.


Sobre a demora no atendimento, queixa que foi feita pelos moradores e comerciantes da região, o coronel Moreira argumenta que um sargento da base da Costa e Silva foi o primeiro a receber a ligação. “Quando deu 7h20, a equipe já estava aqui. Depois do arrombamento no comércio foi verificado a fumaça bem como as altas temperaturas.”, ressalta.

Outro problema constatado foi a irregularidade do comércio de quase dois mil m². De acordo com os bombeiros, por possuir muitos inflamáveis, o local não possui um projeto de combate a incêndio.


Em questão de minutos foram utilizados 20 mil litros de água mais uma auto bomba de cinco mil litros e duas auto tanque reboque. “Agora estamos fazendo o rescaldo e combatendo as chamas da parte subterrânea. Só depois de tudo é que saberemos ao certo os danos”, fala o comandante.


Com relação a falta de energia, os bombeiros dizem que técnicos da Enersul estão de prontidão para religar os postes de alta tensão. “Fizemos o procedimento de expulsar a fumaça, depois resfriar, diminuir a temperatura e por último expulsar o fogo”, finaliza o comandante.

Jornal Midiamax