Tido como um dos mais violentos do país, o trânsito de Campo Grande é estudado por técnicos da OMS (Organização Mundial de Saúde) há pelo menos um ano e meio. O relatório está pronto e seu conteúdo deve ser divulgado na próxima semana.

O representante da organização, Victor Pavarini adiantou que o dia mais complicado no trânsito campo-grandense é a quinta-feira. E o dia mais calmo, segundo ele, é a segunda-feira.

O mapeamento indica que os motociclistas são as principais vítimas dos acidentes.

A OMS realiza o levantamento em duas cidades brasileiras: além de Campo Grande, o estudo é aplicado também em Belo Horizonte, capital mineira, outra campeã em números de acidentes.

Com o estudo nas mãos as autoridades campo-grandenses devem desenvolver programas preventivos, já a pesquisa indicam os locais tidos como os mais críticos. Recurso de uma organização não-governamental banca o estudo da OMS, segundo Pavarini.