Geral

Cruzeiro e América-MG ficam no 1 a 1

O Cruzeiro, um dos favoritos para ficar com o título do Campeonato Brasileiro, continua decepcionando na competição. Na noite deste sábado, o time do técnico Cuca disputou o clássico contra o América-MG, em Sete Lagoas, pela 5ª rodada, mas não saiu de um empate por 1 a 1. Fabrício marcou o gol do Cruzeiro, mas […]

Arquivo Publicado em 19/06/2011, às 01h00

None

O Cruzeiro, um dos favoritos para ficar com o título do Campeonato Brasileiro, continua decepcionando na competição. Na noite deste sábado, o time do técnico Cuca disputou o clássico contra o América-MG, em Sete Lagoas, pela 5ª rodada, mas não saiu de um empate por 1 a 1. Fabrício marcou o gol do Cruzeiro, mas o veterano Fábio Júnior deixou tudo igual.

Depois de cinco jogos, a equipe celeste soma apenas três pontos, resultado de três empates. O time está na zona de rebaixamento, na 18ª posição. O América-MG, por sua vez, chega aos 5 pontos, na 15ª colocação.

O próximo jogo do Cruzeiro na competição nacional será contra o Coritiba, no sábado que vem, também em Sete Lagoas. Já o América-MG volta a campo no domingo, diante do Santos, na condição de visitante.

O empate deste sábado amplia um longo tabu do América-MG, que não bate o rival estadual desde 19 de maio de 2002 – na ocasião, venceu por 1 a 0, em jogo do Supercampeonato Mineiro.

O jogo

O Cruzeiro começou a partida mostrando que partiria em busca do gol rapidamente. Logo no primeiro minuto, Gilberto arrancou em velocidade até a linha de fundo e cruzou para o meio da área, mas ninguém do time acompanhou a jogada, e a defesa rival afastou o perigo da área.

A equipe celeste continuou em cima, insistindo em acionar Anselmo Ramon, que recebia forte marcação. Em uma das faltas recebidas pelo Cruzeiro, Montillo levantou com efeito em direção à segunda trave, e o volante Fabrício cabeceou para o fundo da rede, aos 15 minutos.

“Fiquei sozinho, não tinha nada combinado, mas ele me viu livre, eu recebi a bola e cabeceei para o gol. Foi um presente, mas a cabeçada foi bonita”, disse o jogador, no intervalo.

Foi o único presente dado pelos cruzeirenses a sua torcida, em Sete Lagoas. Depois de inaugurar o marcador, a equipe comandada pelo técnico Cuca passou a ser mais pressionada pelo América, que, em contrapartida, tinha muita dificuldade para ameaçar o goleiro Fábio.

Mas o América retornou para o segundo tempo mais ligado. Com oito minutos, Amaral soltou uma bomba da entrada da área, e Fábio Júnior colocou a cabeça na bola para igualar.

Pouco tempo depois, Cuca resolveu mexer no Cruzeiro, sacando Henrique e Anselmo Ramon para a entrada de Dudu e Brandão.

O último teve tempo para acertar uma linda bicicleta, aos 18 minutos, que obrigou Flávio a fazer difícil defesa. Os dois times seguiram demonstrando muita vontade, e o América assustou pela última vez, com chute de Leandro Ferreira na trave.

Jornal Midiamax