O presidente do Sudão, Omar al-Bashir, votou em Cartum neste domingo (11), na abertura das primeiras eleições legislativas, regionais e a presidencial desde 1986 no país. “Alah Akbar!” (Deus é Grande, em árabe), declarou o dirigente sudanês, que vestia uma túnica e um turbante brancos, mostrando a tinta no dedo, numa sessão eleitoral situada muito perto da residência oficial, no centro da cidade.

Omar al-Bashir, sobre quem pesa uma ordem de captura internacional, é o candidato favorito da eleição presidencial sudanesa, uma vez que os principais líderes oposicionistas boicotaram o processo.

É a primera vez que ele participa de um pleito multipartidário desde que tomou o poder em 1986, através de um golpe de Estado militar apoiado por islamitas. Dezesseis milhões de eleitores foram convocados para votar até terça-feira.

Eles vão escolher o presidente, os presidentes das províncias, o Parlamento nacional e os Parlamentos regionais. A Comissão Eleitoral sudanesa, encarregada da preparação e acompanhamento do processo, dispôs 13 mil centros eleitorais tanto nas 15 províncias do norte como nas 10 da região autônoma do sul, que também vai escolher um presidente para seu território e uma nova câmara legislativa regional.

O presidente do Sudão deverá conseguir 50% dos votos mais um para ficar com a vitória no primeiro turno. Se não o conseguir, em três semanas os dois candidatos mais votados concorreriam a uma segunda rodada.