Um Estádio Jacques da Luz, interditado desde o começo de fevereiro, deve ser liberado para a partida entre o de Mato Grosso do Sul e Operário de Ponta Grossa (PR), pela do Brasil, marcada para o próximo dia 28 de fevereiro.

A Funesp (Fundação Municipal de Esportes) informa que a manutenção está em andamento, mas ainda há etapas para serem concluídas. A previsão é que tudo esteja pronto para a competição nacional em Campo Grande.

“A Funesp está empenhada em finalizar todas as melhorias o mais rápido possível, para oferecer um serviço ainda mais eficiente à comunidade”, diz nota enviada ao Jornal Midiamax. Vale lembrar que o Estádio é o atual ‘suplente' para o Morenão, que está em obras há anos.

No local, que foi muito criticado nas últimas rodadas do Campeonato Estadual, já foram instaladas a grama esmeralda, aplicação de adubo 10/10 e correção de acidez com calcário. A novidade é a instalação de um sistema de irrigação contínuo.

jacques da luz
Gramado irregular do estádio durante o Estadual (Alicce Rodrigues, Jornal Midiamax)

Em cima da hora

O gramado do Jacques da Luz foi preparado “em cima da hora” para a competição estadual e, por isso, não teve tempo suficiente de crescer. Antes, a irrigação era manual e precisava ser retirada para a preparação do campo.

Segundo o vice-presidente da (Federação de Futebol de MS) e coordenador de competição, Marco Antônio Tavares, os tratos do gramado começaram apenas no dia 5 de janeiro, duas semanas antes do início da competição da elite do futebol sul-mato-grossense.

“A preparação deveria vir desde novembro. O gramado só precisa de adubo, água e corte, mas a gente começou só em 5 de janeiro. Também precisa de tempo para a grama poder crescer. Não é de uma hora para outra”, diz o dirigente ao Jornal Midiamax.

Irrigação

Marco explica que a irrigação do Estádio das Moreninhas não é fixa e o tempo para irrigar acabou sendo pouco, já que é preciso retirar as mangueiras para preparar o campo para os jogos. Com isso, o serviço feito do início do ano não foi suficiente para que o gramado suportasse.

“A gente pegou o campo lá e estava só palha. A gente teve que usar areia para nivelar o campo e não machucar os jogadores e esperar a grama crescer. Por isso que o campo fica com aspecto mais marrom”, relata à reportagem.