O Campeonato Brasileiro chega em sua reta final em total equilíbrio nas duas pontas da tabela. A luta pelo título é bastante intensa e protagonizada por Palmeiras, Flamengo, Botafogo, Atlético-MG, Red Bull Bragantino e Grêmio. O time de Abel Ferreira, após o empate por 2 a 2 com o Fortaleza, aumentou um pouco sua chance de ficar com o troféu, mas agora tem o Flamengo como principal concorrente nas probabilidades.

O rubro-negro carioca vem em uma grande arrancada desde a chegada de Tite, enquanto o seu rival Botafogo perdeu posições na tabela. O Atlético-MG, de Felipão, também está bem cotado, já Red Bull Bragantino e Grêmio diminuíram seu fôlego, de acordo com o levantamento feito pelo Departamento de Matemática da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais).

A luta contra o rebaixamento está bastante embolada e ainda aguarda um jogo decisivo nesta segunda-feira, às 20h (horário de Mato Grosso do Sul), entre Goiás e Cruzeiro na Serrinha. Fortaleza, Corinthians, Santos, Vasco, Cruzeiro, Bahia e Goiás estão ameaçados pelas duas últimas vagas na zona de rebaixamento, uma vez que América-MG e Coritiba já caíram.

A goleada sofrida diante do Bahia, por 5 a 1, fez o risco de rebaixamento do Corinthians subir, saindo de 1,2% para 7%. O Santos, ao empatar com o Botafogo, também elevou sua chance de queda, saltando de 4,9% para 9,7%. Goiás e Bahia, no entanto, são os mais ameaçados.

Chances de título no Brasileirão

  • Palmeiras: 55,3% (eram 53%)
  • Flamengo: 19,1% (eram 8,4%)
  • Botafogo: 18,5% (eram 23,8%)
  • Atlético-MG: 3,7% (era 1,1%)
  • Grêmio: 1,7% (eram 7,3%)
  • Red Bull Bragantino: 1,7% (eram 6,4%)

Probabilidades de vaga na Libertadores

  • Botafogo, Flamengo, Fluminense, São Paulo e Palmeiras: 100%
  • Atlético-MG: 99,6% (eram 97,6%)
  • Red Bull Bragantino: 99,62% (eram 99,5%)
  • Grêmio: 99,6% (eram 99,5%)
  • Athletico-PR: 0,81% (eram 3,4%)

Riscos de rebaixamento para a Série B

  • Coritiba e América-MG: 100%
  • Goiás: 96,8% (eram 94,8%)
  • Bahia: 32,4% (eram 66,1%)
  • Cruzeiro: 27,9% (eram 15%)
  • Vasco: 24,2% (eram 13,7%)
  • Santos: 9,7% (eram 4,9%)
  • Corinthians: 7% (era 1,2%)
  • Fortaleza: 1,7% (era 1%)
  • Inter: 0,2% (eram 3,2%)

Com informações da Agência Estado