Atlético-MG supera o América no clássico e fica perto das oitavas da Libertadores

| 03/05/2022
- 23:17
atletico
Imagem ilustrativa - (Foto: assessoria/Atlético-MG)

O -MG deu um passo gigante rumo às oitavas de final da Copa Libertadores, nesta terça-feira, ao findar com a sequência de três empates e ganhar o clássico contra o América-MG, no Independência, por 2 a 1. Com o resultado, o time de Antonio Mohamed assumiu a liderança do Grupo D, com oito pontos, e já não pode ser mais alcançado pelo oponente, com somente um.

Lateral da seleção brasileira, Guilherme Arana foi o destaque do Atlético-MG ao abrir o marcador e servir Nacho Fernández no segundo. Everson falhou no gol do América, mas se redimiu ao salvar o empate na etapa final. Além do triunfo, o torcedor atleticano ainda festejou o retorno de Keno, recuperado de lesão, nos minutos finais.

A classificação pode vir com uma rodada de antecedência caso o time vença o Independiente del Valle, dia 19 de maio, no Mineirão. Até lá, o Atlético volta o foco no Brasileirão, onde também buscará se reencontrar com os triunfos após dois tropeços, no sábado, em clássico com o América, agora no Mineirão. Antes de encarar os equatorianos, ainda visita o Red Bull Bragantino e hospeda o Atlético-GO.

Ao derrotado América, com duas visitas na Libertadores, contra Tolima e Del Valle, resta o sonho de buscar o terceiro lugar na chave para, como consolação, ir às oitavas da Copa Sul-Americana

Mesmo mandante e sobre a obrigação de vitória, o técnico Vágner Mancini optou por uma escalação mais protegida, com Conti formando o trio defensivo ao lado de Iago Maidana e Éder no América-MG. Já Antônio Mohamed optou pelo óbvio. Mariano e Jair, poupados no fim de semana, retornaram e Keno virou opção na reserva, após se recuperar de lesão no olho.

No jogo de xadrez dos minutos iniciais, com muito estudo e pouco de concreto, foi Paulinho Bóia quem apareceu pela primeira vez. Em chute fraco para fácil defesa de Everson. O Atlético tinha muita dificuldade diante de um forte esquema defensivo até ganhar um grande presente. Juninho falhou e acabou mandando nos pés de Hulk. O atacante passou pelos marcadores e rolou para Guilherme Arana abrir o marcador logo com 12 minutos. Um gol que acabou com o plano de jogo de Mancini.

Com apenas um ponto na competição - justamente do empate com o Atlético-MG no primeiro turno, por 1 a 1 - o América se viu obrigado a mudar a postura e deixar o contragolpe todo para os visitantes. Em uma dessas escapadas que poderiam ocasionar perigo, Vargas parou pelo caminho, sentindo o posterior da coxa. Pouco depois foi a vez de Mariano sentir dores na virilha.

Além de duas perdas, o Atlético ainda viu o América crescer. Quando o empate parecia próximo, mais uma arrancada resultou em gol dos visitantes. Zaracho tocou para Arana cruzar na medida para Nacho Fernández ampliar. A cara de poucos amigos de Mancini revelava a preocupação.

O treinador resolveu colocar seus reservas para aquecer imediatamente, mas também acabou beneficiado por um erro. Everson saiu mal no escanteio e Conti diminuiu logo na sequência Mancini vibrou timidamente com a "volta" do América para o confronto.

O segundo tempo começou na base do lá e cá. O América foi para cima e quase sofreu o terceiro gol. Ademir roubou de Conti e partiu em velocidade. Não conseguiu finalizar, mas serviu Nacho, que parou em defesaça de Jailson. O goleiro faria nova intervenção importante logo a seguir.

Sufocado, Mancini preparava mexidas para reequilibrar o encontro quando perdeu sua principal arma ofensiva. Paulinho Bóia arrancou e também sentiu lesão no posterior da coxa. Era quem mais levava o time ao gol de Everson.

Do lado alvinegro, além de não conseguir ampliar, bateu a preocupação de ceder o empate pelo quarto jogo seguido após sair na frente em ambos. Contra Coritiba, Independiente Del Valle e Goiás a equipe tinha o placar positivo e não conseguiu segurar a vantagem. Não fosse Everson, e o América chegaria ao 2 a 2. O goleiro brilhou em cabeçada na pequena área de Éder.

Mohamed resolveu mexer para tentar organizar o Atlético. Optou pelo retorno de Keno, que em seu primeiro lance perdeu gol incrível na pequena área, e também com Otávio. O time não soube aproveitar as diversas chances de ampliar, mas conseguiu se defender para garantir a vantagem mínima e festejar o reencontro com as vitórias.

FICHA TÉCNICA

AMÉRICA-MG 1 x 2 ATLÉTICO-MG

AMÉRICA-MG - Jailson; Iago Maidana, Conti (Gustavinho) e Éder; Patric, Juninho, Matheusinho e João Paulo (Cáceres); Pedrinho (Carlos Alberto), Felipe Azevedo (Juninho Valoura) e Paulinho Bóia (Índio Ramirez). Técnico: Vágner Mancini.

ATLÉTICO-MG - Everson; Mariano (Guga), Nathan Silva, Júnior Alonso e Guilherme Arana; Jair (Otávio), Allan, Zaracho e Nacho Fernández (Keno); Eduardo Vargas (Ademir) e Hulk. Técnico: Antonio Mohamed.

GOLS - Guilherme Arana, aos 12, Nacho Fernández, aos 36, e Conti, aos 38 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS - Éder, Juninho, Gustavinho e Pedrinho (América-MG) e Giga (Atlético-MG)

ÁRBITRO - Dario Herrera (ARG).

RENDA E PÚBLICO - Não divulgados.

LOCAL - Independência, em Belo Horizonte.

Veja também

No braço de ferro entre Felipão e Abel Ferreira, dois dos principais treinadores da história...

Últimas notícias