Esportes

Colombianos se unem para devolver objetos saqueados de voo da Chapecoense

Cerca de 200 bens serão devolvidos a familiares de vítimas nesta terça

Joaquim Padilha Publicado em 09/05/2017, às 11h13

None
objetos_chape.jpg

Cerca de 200 bens serão devolvidos a familiares de vítimas nesta terça

Celulares, anéis, carteiras, relógios, camisas, sapatos, uniformes e notebooks. Esses foram alguns dos objetos saqueados poucas horas após o acidente do voo da Chapecoense, em 29 de novembro, nos arredores de Medellín, na Colômbia.

Tudo o que parecia estar em bom estado foi levado por colombianos enquanto equipes de resgate realizavam as buscas por sobreviventes e retiravam corpos do local do acidente.

Nâo demorou muito para que, por arrependimento ou comoção, alguns desses objetos reaparecessem em uma pracinha no comércio de La Unión, cidade próxima de onde ocorreu o acidente que deixou 71 mortos.

Moradores da cidade se uniram desde dezembro do ano passado para recuperar os pertences dessas vítimas do voo da LaMia. Com os esforços, 200 objetos serão entregues a familiares das vítimas em frente a igreja da cidade de 19 mil habitantes ao pé do Cerro Chapecoense, local da tragédia.

Os jogadores Alan Ruschel, Neto e Jackson Follmann, assim como o jornalista Rafael Henzel, estavam no avião e irão participar da cerimônia de devolução dos objetos saqueados. Também foram convidados familiares das vítimas.

Cerca de 85 moradores de La Unión integran a Cooperación Binacional de Hermandad La Unión-Chapecó. Padres, rádios locais e o próprio prefeito da cidade se envolveram na campanha pela devolução dos objetos.

Nesta segunda-feira (8), a Chapecoense desembarcou em Medellín, para disputar jogo contra o Atlético Nacional na noite desta quarta-feira (10). A delegação foi recebida em uma cerimônia, onde recebeu medalhas do prefeito Federico Gutierrez.

(com supervisão de Evelin Cáceres)

Jornal Midiamax