Dunga conseguiu ver um lado positivo

Dunga conseguiu ver um lado positivo da participação do Brasil na , mas depois de ser eliminado nos pênaltis pelo Paraguai : “foi ótimo porque poucos jogadores tinham disputado uma Copa América, e nas Eliminatórias vamos tentar melhorar coletivamente”, analisou o técnico após a partida.

A derrota foi a mesma de 2011, e o discurso se repetiu. Dunga disse que o Brasil já teve grandes seleções que passaram 40 anos sem ganhar a Copa América e que prioridade do seu trabalho segue sendo as Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018 na Rússia: “historicamente a Copa América é sempre muito complicada”, definiu.

O técnico pretende continuar o processo de renovação iniciado por ele após a derrota vergonhosa na Copa do Mundo de 2014 sob o comando de Luis Felipe Scolari: “vamos continuar na forma de pensar, e na programação feita anteriormente. Perdemos jogadores importantes antes da competição, mas isso foi importante para dar experiência a vários jogadores”, repetiu.

Outra vez elogiado por seu amigo Ramón Diaz, Dunga não pareceu irritado com as críticas e nem disposto a abandonar o barco. Citou uma frase de efeito do coordenador Gilmar Rinaldi, seu principal valedor no cargo, e falou sob olhares atentos do secretário geral, Walter Feldman, do diretor de marketing, Gilberto Ratto, e do chefe da delegação, João Dória. “É bom ter o respeito de colegas de outros países que sabem que nem se é tão bom quanto ganha, nem se é tão ruim quando perde”, tentou justificar.

 

Saiba Mais