Na última semana, o esteve mais competitivo em relação à na Bahia, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, e São Paulo. No restante dos Estados, continua mais vantajoso abastecer o carro com gasolina.

Conforme levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) compilado pelo AE-Taxas, no período, na média dos postos pesquisados no País o etanol está com paridade de 62,74% ante a gasolina, portanto favorável em comparação com o derivado do petróleo.

A paridade estava em 69,24% na Bahia, em 65,60% no Distrito Federal, 61,41% em Goiás, 57,17% em Mato Grosso, 63,65% em Mato Grosso do Sul, 63,18% em Minas Gerais, 65,31% no Paraná e 62,05% em São Paulo.

Executivos do setor observam que o etanol pode ser competitivo mesmo com paridade maior do que 70%, a depender do veículo em que o biocombustível é utilizado.