A Argentina decidiu suspender por 60 dias a cobrança de pedágio para embarcações que trafegam pela hidrovia Paraguai-Paraná. A decisão ocorre após reuniões com representantes do Brasil, Bolívia, Paraguai e Uruguai, contrários a decisão da Argentina de implantar a cobrança.

Nesta semana, ocorreu o encontro do Comitê Intergovernamental da Hidrovia, em Buenos Aires. A Argentina decidiu iniciar a cobrança do pedágio de maneira unilateral e sem aviso prévio aos países que utilizem a hidrovia, sob alegação de custear despesas de manutenção do modal.

Com a suspensão por 60 dias, a Argentina deixa para o próximo governo a decisão, já que as eleições presidenciais do país ocorrem em outubro. Segundo informações do site H2Foz, em paralelo, um grupo técnico segue fazendo estudos em busca de uma solução para o impasse.

Cobrança por tonelada na embarcação

A Argentina passou a cobrar US$ 1,47 (cerca de R$ 7) por tonelada bruta transportada pelas embarcações que navegam pela hidrovia, sem aviso prévio. E justificou aos países que o pedágio é necessário para custear a manutenção do trecho até os portos da região de Rosário.

Os países alegam que a medida repentina implantada pela Argentina contraria o acordo internacional de Santa Cruz e pedem que o país revogue a decisão. O Paraguai é um dos mais afetados com a cobrança do pedágio, pois usam a hidrovia para escoar e receber 80% da produção que passa pelo país.

Argentina é o 2º maior destino comercial de Mato Grosso do Sul

Em agosto, uma embarcação que saiu de Porto Murtinho foi retida até o pagamento da taxa.

Mato Grosso do Sul tem forte relação comercial com a Argentina, sendo este o segundo principal destino de mercadorias locais. De acordo com dados de Comércio e Exterior, de janeiro a junho de 2023, o Estado enviou ao país US$ 585 milhões, com crescimento de 200% no faturamento em relação ao mesmo período do ano anterior.

A hidrovia também é uma via importante para o Mato Grosso do Sul. Grãos como soja e milho são os principais produtos enviados para a Argentina, que costumam sair em embarcações de Porto Murtinho e chegar ao país pela hidrovia Paraguai-Paraná.

Entre janeiro e junho de 2023, foram enviados 1.918 bilhão de toneladas para a Argentina, sendo 841 milhões de toneladas pela hidrovia. O volume transportado pela hidrovia cresceu 261% este ano.