Considerado um dos poucos setores que não estão sendo afetados pela crise gerada com a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a agropecuária em Mato Grosso do Sul mostra sinais de que está em forte ritmo de crescimento. Neste ano, houve aumento de 43,8% na contratação de crédito para a safra 2020/21.

A principal alta veio dos investimentos por parte do produtor rural na aquisição de maquinário e benfeitorias fixas. Foram 966 operações contratadas, com volume financiado de R$ 282,5 milhões. O aumento foi de 79,6% em operações e 171,2% em volume de recursos, na comparação com julho do ano passado.

Com tendência de expansão da área cultivada, os valores financiados com objetivo de custeio das atividades e ações nas propriedades também tiveram um crescimento no período. Foram 2.747 operações contratadas, com volume financiado de R$ 910,5 milhões. Respectivamente, o aumento foi de 28,1% em operações e 25,7% em volume de recursos.

Guiado pelo aumento na utilização de crédito para custeio e investimento, o desempenho geral do crédito rural no Plano Safra 2020/2021 até o mês de julho está em 43,8% superior em relação à safra anterior.

Com mais recursos e melhores condições de financiamento, o Plano Safra 2020/2021 contempla R$ 236,3 bilhões disponíveis para o setor, um aumento de R$ 13,5 bilhões em relação ao plano anterior.

Para o crédito de custeio e comercialização, o volume de recursos programados para o ciclo é de R$ 179,4 bilhões, sendo R$ 19,40 bilhões para os produtores enquadrados no Pronaf (Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar); R$ 29,36 bilhões para os médios produtores; R$ 53,74 bilhões a juros controlados para a agricultura empresarial; e R$ 76,9 bilhões a juros livres.