Cotidiano / Economia

Superintendência do Cade aprova compra do HSBC pelo Bradesco

Processo segue para decisão final do Tribunal

Midiamax Publicado em 04/04/2016, às 17h14

None
bradesco.jpg

Processo segue para decisão final do Tribunal

O Bradesco adquiriu o HSBC, e agora o processo segue para decisão final do Tribunal do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), segundo decisão publicada nesta segunda-feira (04) pelo Diário Oficial da União. A mudança vai impactar na administração das contas da Prefeitura de Campo Grande.

Na Capital, são mais de 22 mil servidores públicos municipais que serão impactados com a mudança, uma vez que o HSBC vai passar a Bradesco, que permanece na posição de quarto maior banco do país. Segundo a superintendência do Cade, com a aquisição o Bradesco segue com menos de 20% de ativos totais do mercado, atrás do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal e do Itaú.

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica pode acolher a recomendação da Superintendência-Geral, reprovar a operação ou ainda adotar outras medidas para afastar problemas de concorrência. A superintendência recomendou a aprovação, desde que condicionada à celebração de um ACC (Acordo em Controle de Concentrações) entre o Bradesco e o Cade. Segundo o Cade, esse proposta de acordo já foi aceita pelo banco.

Alguns dos problemas do setor, como a baixa portabilidade e os elevados índices de reclamação em relação à qualidade dos serviços bancários, também são verificados no Bradesco, de acordo com a Superintendência-Geral do Cade. Além disso, a participação de mercado do banco em número de agências em alguns municípios é elevada, acrescenta o comunicado.

“Para afastar a possibilidade dos clientes do HSBC serem prejudicados com a operação, e para também beneficiar os clientes do Bradesco, inclusive os situados nos municípios com maior concentração de agências, o banco concordou em celebrar um acordo com o Cade como condição para a aprovação da aquisição”, citou a superintendência, em comunicado.

Jornal Midiamax