Cotidiano / Economia

‘São João pobrinho’: clientes economizam e comerciantes reclamam

Quilo do amendoim chega a R$ 10,00

Midiamax Publicado em 24/06/2016, às 20h47

None
img-20160624-wa0161.jpg

Quilo do amendoim chega a R$ 10,00

Junho é mês de Festa Junina, mas neste ano a comemoração não está animando comerciantes e consumidores. Com inflação, os consumidores estão economizando no "arraiá'' e levando menos ingredientes para os quitutes.

“Quem levava um fardo de amendoim para a festa junina, agora está levando meio fardo. Nós sentimos uma diminuição de vendas de 50%, em média”, afirma a comerciante, que trabalha há 16 anos no Mercadão, Lurdes Faustino. E a explicação para ela?. “O milho aumentou um pouco, mas o amendoim passou de R$ 4,50 para R$ 10,00. O consumidor sente mesmo”, explica.

O consumidor está levando menos, mas o gasto não diminuiu. O aumento nos preços neste ano foi de 18,2% em Campo Grande comparado com o mês de junho do ano passado, segundo levantamento do Nepes (Núcleo de Pesquisas Econômicas) da Anhanguera Uniderp. A alta foi puxada pelo coco ralado, com aumento de 42,8%, que custava entre R$ 3,04 e R$ 3,49 em 2015, encontrado neste ano entre R$ 4,29 até R$ 5,04.

“Eu fui comprar e garanti os produtos em um mercado atacadista porque é mais barato. Tem que arranjar um jeito nessas horas”, cita a funcionária pública Norah Saucedo Lopes, 56.

Para a comerciante Anita Rocha, o cliente está levando o suficiente para pagar. “Antigamente, o cliente levava mais. O poder de compra diminuiu mesmo. As pessoas querem comemorar, mas pagar pouco. Então, eles levam as coisas mais em conta e pedem um descontinho”, diz.

Até o quentão ficou mais 'salgado' neste ano. O vinho tinto teve alta de 11,36%. Em 2015, era possível achar a garrafa com preços entre R$ 7,25 e R$ 14,99. Em 2016, os preços dos itens pesquisados, variaram entre R$ 7,99 e R$ 16,49.

Famosas 'prendas' são as campeãs de vendas (Catarine Sturza)

Com as roupas e outros itens, não é diferente. Dona Norah 'rodou' bastante no centro, e encontrou. O preço? “39 reais, está bom né? Não sei, vou usar só uma vez. Mas, é melhor garantir porque vou em um aniversário que é de festa junina”.

“É complicado comprar vestidos porque nem sempre vai poder usar no próximo ano. A gente paga e acaba usando uma vez”, pontua o motorista Toledo Areco, 58, que levou a filha de 6 anos para escolher o 'modelito'.

O campeão de vendas na Loja Planeta Real é o chapéu. “Esse o pessoal leva mesmo, é o que mais sai”, cita o gerente Pedro Magalhães. Na Giga Presentes, as famosas 'prendas' são a preferência. “São mais baratos, as pessoas querem levar bastante, mas pagando pouco”, finaliza o gerente Rodrigo.

Jornal Midiamax