Média de aumento de energia para o consumidor sul-mato-grossense será de 27,9%

Depois da aprovação da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) do aumento da tarifa de energia elétrica em todo o país, a concessionária de Mato Grosso do Sul, a Energisa, divulgou o percentual exato de reajuste para os consumidores do Estado. O efeito médio será de 27,9%, já a partir da próxima segunda-feira (2).

Os chamados consumidores de baixa tensão, residências, vão pagar 26,69% a mais na conta de energia, enquanto os de alta e média tensão, indústrias, esse percentual será de 31,27% de aumento.

A Energisa explica este reajuste já estava previsto no contrato de concessão das empresas de distribuição de energia elétrica, assinado com a Aneel, e que o objetivo do reajuste é ‘atender a casos excepcionais de desequilíbrio econômico-financeiro das distribuidoras’.

Este desequilíbrio é chamado pela concessionária de ‘descasamento’ na relação entre as despesas e receitas no setor, e por isso houve necessidade de uma ‘revisão extraordinária’ das tarifas, já que aumentaram os custos com a compra de energia e a CDE (Conta de Desenvolvimento Energético).

A Aneel determina que  as próprias concessionárias arquem com esses gastos, porém desta vez, a agência teria identificado a elevação dos custos acima da capacidade econômico-financeira das empresas, e acabou repassando este aumento para o consumidor por meio do CVA (Conta Compensação de Valores de Itens da Parcela A)

A Energisa afirma que na data marcada para Reajuste Tarifário Anual de cada distribuidora, 8 de abril, o aumento não contará com os critérios utilizados para a atualização do preço da conta de energia.

Ainda segundo a concessionária, o aumento é um reflexo do que chamou de ‘cenário crítico vivido pelo setor elétrico nos últimos dois anos’, causado pela crise hídrica que tem obrigados os governos a acionar de forma frequente as usinas térmicas para complementar o fornecimento de energia elétrica, uma fonte mais cara do que as das hidrelétricas, principal fator para aumento do preço da conta paga pelo consumidor.