Comerciantes esperam Dia das Mães de poucas vendas em Campo Grande

Movimentação pode ser maior nos shoppings da cidade
| 05/05/2015
- 22:27
Comerciantes esperam Dia das Mães de poucas vendas em Campo Grande

Movimentação pode ser maior nos shoppings da cidade

O próximo domingo, dia 10, é comemorado o . A data é considerada a segunda melhor para os comerciantes por causa da grande movimentação dos clientes em lojas e centros comerciais.

No entanto, neste ano, por causa da atual conjuntura econômica dos campo-grandenses, as vendas devem ter apenas 2% de aumento em relação a movimento registrado no ano passado.

“O empresário precisa estabelecer estratégias, como descontos, promoções e brindes para conquistar o cliente, pois o consumidor está menos confiante para comprar itens de maior valor”, observa João Carlos Polidoro, presidente da ACICG (Associação Comercial de Campo Grande).

Dados da associação revelam que por causa da data, as lojas e shoppings centers devem contabilizar um número maior de clientes, principalmente pelo fato de o pagamento dos servidores municipais sair nesta semana. A previsão é de que sejam injetados R$ 97 milhões na economia de Campo Grande.

Pesquisa realizada pela ACICG e pela Faculdade Estácio de Sá revela que 87% dos participantes vão presentear as mamães no domingo. A estatística revela também que a maioria dos consumidores, 70,6% pretendem pagar as compras à vista e em dinheiro. O presente escolhido por grande parte dos entrevistados, 47,6% deve custar entre R$ 51 e R$ 100, outros 28,2 pretendem investir de R$ 101 a R$ 200 na compra.

Na escolha do que presentear, vestuário é a opção predominante (32,8%). Perfumes e cosméticos assumem a segunda colocação (27,2%), calçados (8,4%) a terceira, joias/bijuterias (5,6%) e bolsas/carteiras (4,7%) completam o ranking dos itens preferidos pelos campo-grandenses.

Os shoppings da Capital devem ficar mais movimentados nesta semana por causa do Dia das Mães. A maioria dos consumidores, 50,2% escolheu os centros comerciais para realizar as compras. As lojas do centro da cidade serão procuradas por 34,5% dos consumidores, conforme informações da ACICG.

 

Veja também

Até o fim do ano, benefício tem valor mínimo de R$ 600 por família

Últimas notícias