Cotidiano / Economia

Ausência de chuvas eleva para 35% colheita do milho safrinha em MS

Considerando o mesmo período do ano passado, o atraso é de apenas 9 pontos percentuais

Gerciane Alves Publicado em 05/08/2015, às 20h01

None
colheita.jpg

Considerando o mesmo período do ano passado, o atraso é de apenas 9 pontos percentuais

Há dez dias não chove em Mato Grosso do Sul e a previsão é que o clima seco, característico da estação, continue por mais uma semana. A falta de precipitação é bom sinal para o produtor que cultiva milho safrinha. Dados do Siga (Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio) mostram que em uma semana, a colheita do cereal pulou de 25% para 35% de área dedicada ao plantio do grão no Estado. Considerando o mesmo período do ano passado, o atraso é de apenas 9 pontos percentuais.

Coxim, município localizado na região Norte do Estado, é mais adiantado com a colheita (90%), seguido de Chapadão do Sul (80%) e Costa Rica (60%). No sudoeste, Rio Brilhante aparece em primeiro (45%), seguido de Caarapó e Amambai (40%) e Dourados, Naviraí e Aral Moreira (35%). Em três dias os técnicos visitaram 16 propriedades distribuídas em 16 municípios do Estado.

“A partir da observação técnica, em algumas lavouras, é possível detectar a incidência de buva, capim amargoso, carrapicho entre outras plantas daninhas, mas nada que comprometa a produtividade, já que as mesmas estão controladas. Ao mesmo tempo, a baixa umidade não permitiu a manifestação de pragas no milho”, explica o analista de grãos da Aprosoja-MS, Leonardo Carlotto.

A maioria das lavouras está no estágio R6 de desenvolvimento, ou seja, com maturidade suficiente para ser colhida. Até o dia 15 de agosto, os técnicos colhem amostras para análise de conclusão final da colheita com encerramento previsto para a segunda quinzena de agosto.

Na região Centro, as propriedades visitadas pelos técnicos da entidade passaram pelos municípios de Terenos, Rio Brilhante, Nova Alvorada do Sul e Campo Grande. No norte do Estado, o levantamento foi feito em Alcinópolis, Costa Rica, Chapadão do Sul, São Gabriel do Oeste, Coxim, Sonora e Rio Verde de Mato Grosso. Já no Sudoeste, as visitas aconteceram em Dourados, Itaporã, Guia Lopes da Laguna, Jardim, Maracaju, Ponta Porã, Sidrolândia e Bonito.

A Aprosoja-MS (Associação dos Produtores de Soja e Milho de MS) estima que o Estado produza 8,3 milhões de toneladas do grão na safra 2014/2015.

Jornal Midiamax