A chinesa BBCA Group solicitou pedido de cancelamento de licença de instalação ao Imasul (Instituto de Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) da usina em , distante 161 quilômetros de , segundo portaria publicada nesta sexta-feira (19) no Diário Oficial do Estado.

O grupo foi anunciado em 2013 em Mato Grosso do Sul, e começou a ocupar espaço entre e Rio Brilhante em 2015. Na época, foram anunciados mais de R$ 6 bilhões em investimentos no Estado com uma fábrica de produtos químicos.

De acordo com a portaria do Imasul, o cancelamento foi feito a pedido do empreendedor, que comunicou que não instalará mais a fábrica. A portaria é assinada pelo diretor-presidente André Borges Barros de Araújo.

BBCA

O pedido é referente a última tentativa do grupo de se instalar no local, feita em . A indústria de processamento de milho adquiriu uma área de 272 hectares para construção do que seria um complexo do segmento do . Do total, 170 foram comprados pela empresa BBCA e 102 hectares doados pela prefeitura do município.

No entanto, foram construídos apenas dois armazéns graneleiros, barracões e um secador utilizado na secagem de grãos como soja e milho após a . A estrutura que deveria abrigar a indústria acabou alugada.

A fábrica de Maracaju seria uma unidade industrial química a partir do processamento do milho e da cogeração de energia, além da fabricação de produtos químicos voltados à indústria alimentícia e de embalagens.