A vacina contra a dengue está em falta na rede particular de . A maioria das clínicas está com o estoque zerado desde o início de fevereiro, sem previsão de chegada de novos lotes. 

A farmacêutica Takeda, que produz o imunizante QDenga, informou, em 5 de fevereiro, que daria prioridade para atender o SUS (Sistema Único de Saúde) e limitaria o fornecimento para a rede privada para atender os pacientes que já tinham tomado a primeira dose e precisam do segundo imunizante no intervalo de 90 dias. 

Dourados, a 229 km de Campo Grande, foi pioneira na imunização na rede pública de saúde em 3 de janeiro. As demais cidades do país receberam doses da QDenga em fevereiro, com foco no público de 10 a 11 anos de idade, os mais vulneráveis para a dengue. 

Diante desse cenário, o estoque de doses em clínicas particulares da Capital zeraram nas últimas semanas devido à alta procura. Apenas uma clínica particular de Campo Grande ainda oferece o imunizante QDenga no respectivo site. A Multilab (pelo site da Di Imagem) comercializa a vacina da farmacêutica Takeda por R$ 399 cada dose. 

Em julho de 2023, o Midiamax mostrou que cada dose do imunizante em Campo Grande era encontrado entre R$ 249 a R$ 605.

As clínicas de vacinação Sabin Diagnóstico e Saúde, Vaccine Care, Immune Life, Imunitá e Imuniza MS não têm mais doses e estão sem previsão de quando podem chegar novos lotes. No caso da Sabin, o site anuncia que o serviço está fora de estoque. 

Os preços em cada local variava na faixa de R$ 500 a R$ 600 a depender da forma de pagamento, mas vale ressaltar que não há como garantir se os valores serão mantidos com a chegada de mais vacinas. 

Confira quais eram os valores:

LocalValor da dose à vistaValor da dose a prazo
Vaccine CareR$ 585R$ 605
Immune LifeR$ 508R$ 535
Imunitá R$ 505R$ 535
Imuniza MSR$ 475R$ 490
Sabin Diagnóstico e SaúdeR$ 400

Vacinação em Campo Grande

A campanha de vacinação contra a dengue na rede pública de saúde em Campo Grande completou 8 dias e neste período, 1.699 crianças entre 10 e 11 anos foram imunizadas. O número representa média de 212 vacinados a cada dia e mostra que a população tem aderido ao imunizante.

Os dados são da (Secretaria de Saúde de Campo Grande) e consideram que a campanha começou em 11 de fevereiro, primeiro dia de aplicação do imunizante. A meta da secretaria é vacinar 90% do público de 28 mil crianças nesta faixa-etária.

Casos de dengue cresceram

O número de mortes investigadas por suspeita de dengue em subiu de um para três no intervalo de seis dias. A quantidade de casos prováveis cresceu de 2.686 para 2.723 no mesmo período, o que representa alta de 1,37%. Os dados constam no Painel de Monitoramento das Arboviroses do Ministério da Saúde, com dados atualizados até a última sexta-feira (16). 

O índice de incidência da doença está em 98,8, número superior ao observado anteriormente em 97,4 na semana passada. 

Os casos prováveis são a soma de casos em investigação, casos confirmados e ignorados. Não são considerados os casos descartados. 

Dos mais de 2,7 mil casos prováveis de Mato Grosso do Sul, 748 (27,47%) são sobre casos confirmados. Os demais 1.975 (72,53%) são em investigação ou ignorados.