Passados dez dias da redução do preço da e do aumento do nas refinarias da , os dois combustíveis estão sendo vendidos no Brasil a um preço em média mais baixo do que o mercado internacional, com exceção da Refinaria de Mataripe, na Bahia, única unidade privada relevante do País, que vende gasolina e diesel mais caros que no exterior, informa relatório da Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom).

De acordo com a entidade, as janelas de importação estão fechadas há 16 dias.

A Acelen, que controla Mataripe, está com os preços 3% acima do mercado internacional no caso da gasolina, e em 1% no caso do diesel.

Já as refinarias da Petrobras apresentam preços do diesel 3% menor e média do que no Golfo do México, usado como parâmetro pelos importadores, e 2% menor na gasolina.

A redução da defasagem desses combustíveis acompanha a queda do preço do petróleo,do tipo Brent, que na segunda-feira, 30, fechou em queda de 3,19%, cotado a US$ 86,35 o barril nos contratos para janeiro.

“Com a estabilidade no câmbio e a redução nos preços de referência do óleo diesel e, principalmente, no da gasolina no mercado internacional no fechamento de ontem, o cenário médio de preços aproxima-se da paridade para o óleo diesel e para a gasolina”, informa a Abicom.