Termina nesta quinta-feira (27) o 8º Feirão Habita Campo Grande, no Plaza. O evento reúne 10 imobiliárias, construtoras e incorporadoras em frente à Loja da Habitação. Elas colocaram à disposição mais de 1.100 imóveis, entre casas, apartamentos e terrenos.

Houve intensa procura de moradores interessados em uma moradia. O valor máximo de imóvel vai até R$ 208 mil, com chances de subsídio de R$ 30 mil da prefeitura e consulta para subsídio do Governo Federal, pelo programa Minha Casa Minha Vida. Os parceiros do Parque Privado ofereceram pelo menos R$ 6 mil por unidade também para abater na entrada do financiamento imobiliário.

Daniele Rodrigues de Souza, 21 anos, é assistente comercial e está de licença maternidade. A sua bebê, Luiza, de 4 meses, acompanhava a mamãe que visitava os stands ao lado do marido, Carlos Henrique Prates Coelho, 26 anos. No momento, Carlos aguarda ser chamado pela Guarda Civil após ser aprovado em concurso.

“Acabamos de chegar e estamos animados. Este é o primeiro Feirão em que estamos participando. Nós queremos realizar o sonho de conquistar o primeiro imóvel e aproveitar essa oportunidade”, explicou Daniele, que mora de aluguel no Bairro São Conrado. Casados há 3 anos, eles pagam aluguel mensal de R$ 800. “Não é nem tanto pelo valor alto do aluguel, mas por pagar por algo que não é nosso. Por isso, decidimos dar esse importante passo”, complementou Carlos.

De acordo com Douglas Torres, um dos coordenadores do Feirão Habita Campo Grande, desde o primeiro dia de evento, a iniciativa surte um efeito muito positivo. “A parceria que a fechou junto às imobiliárias, construtoras e incorporadoras beneficiou centenas de famílias da Capital que falaram muito bem do Feirão, pois viram que, com a ajuda da Prefeitura, é possível realizar o sonho de ter a casa própria”, informou Douglas.

A jornalista Glória Maria de Pinho Silva Lima finalmente está vivendo seus dias de “glória”. Conhecida por compartilhar a rotina no e Instagram, a influenciadora digital conquistou a compra do seu primeiro apartamento na feira.

“Confesso que fiquei assustada, pois eu fui no primeiro dia, fiquei em dúvida com algumas opções e voltei no segundo dia, mas ainda não havia decidido. Na terceira vez que fui, eu já decidi o apartamento que eu queria no valor de R$ 178 mil. Para a minha sorte, consegui os R$ 30 mil de subsídio da prefeitura e mais R$ 47 mil pelo programa federal Minha Casa Minha Vida. A construtora também concedeu toda a documentação de forma gratuita. Portanto, o apartamento custou praticamente R$ 100 mil. Como eu não tinha R$ 10 mil para dar de entrada, a construtora também parcelou esse valor. Sem brincadeira, eu tenho R$ 80 na conta e consegui comprar o meu primeiro apartamento”, relatou Glória, com detalhes.

Claudio Marques, diretor-adjunto da Agência Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários, explicou que muitos interessados, que estavam desacreditados de conseguir o primeiro imóvel, saíram com as esperanças renovadas, após obterem o financiamento facilitado da casa própria.

“O Feirão muda vidas. Comprovamos isso ao escutar as buzinas, ver confetes colorindo os stands e a alegria estampada nos rostos dos beneficiários quando efetivam a aquisição da casa própria. Queremos continuar transformando vidas por meio da habitação e mostrando que é possível facilitar e desburocratizar algo que tem efeito até na autoestima das pessoas”, atestou.

Renda

Os cadastros são divididos por categoria de renda:

  • 100 benefícios para os mutuários com renda bruta de até R$ 2.640,00, o valor do subsídio será de R$ 30 mil;
  • 100 benefícios para os mutuários com renda bruta de R$ 2.641,00 a R$ 4.700,00, o valor do subsídio será de R$ 15 mil;
  • 100 benefícios para os mutuários com renda bruta de até R$ 4.701,00 até o teto estabelecido de sete salários mínimos vigentes, o valor do subsídio será de R$ 8 mil.

Quem pode participar?

  • Ter renda familiar mensal bruta de até sete salários mínimos;
  • Estar cadastrado no cadastro geral da Agência Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários;
  • Não ter nenhum imóvel em nome do interessado;
  • Não possuir nenhum financiamento de imóvel que esteja vigente;
  • Não ter sido beneficiado anteriormente com imóveis de programas habitacionais de interesse social com recursos do Governo Federal, Estadual ou Municipal;
  • Os interessados deverão se enquadrar nos critérios dos Programas de Habitação de Interesse Social e/ou Loteamentos Sociais;
  • Fica vedado o acúmulo de subsídio do Governo do Estado.

Loja da Habitação

Além do mutirão até a próxima semana, o shopping disponibiliza uma sala especial para atendimento até 17 de maio. A loja fica aberta das 10h às 22h para atendimento dos serviços da Amhasf.

Dentro os serviços disponíveis a realização de cadastro, atualização de informações, renegociação de dívidas, cadastro do perfil socioeconômico para o programa de Locação Social e a inscrição dos interessados em receber o subsídio do programa Sonho de Morar para o financiamento do primeiro imóvel.

*Com assessoria de imprensa.