O último dia do de foi realizado na segunda-feira (13), quando se comemora o padroeiro da cidade. De 10 a 13 de junho, feirantes comemoraram o sucesso de vendas durante evento, quando as 25 entidades contabilizaram um lucro significativo nas 27 barracas disponibilizadas.

As entidades selecionadas participaram de um chamamento público, publicado no Diário Oficial de Campo Grande (Diogrande). Toda a verba adquirida durante o arraial será revertida aos cofres dessas associações e grupos filantrópicos para beneficiar as pessoas assistidas pelas entidades e a própria instituição.

Após dois anos sem a edição presencial, muitos campo-grandenses prestigiaram a festividade. Segundo estimativa da Guarda Civil Metropolitana, cerca de 21 mil pessoas passaram pelo evento nos quatro dias, refletindo diretamente no resultado das vendas nas barracas.

É o caso do feirante André Costa Maldonado, que voltou a participar do Arraial de Campo Grande. “ A festa melhorou muito com essa estrutura, bem localizado para trabalhar e as vendas foram ótimas” disse André.

Já a Associação de Mães Trabalhando a Inclusão (Amati) comemora a renda obtida nas vendas. Nos quatro dias, a entidade faturou cerca de R$ 14 mil na barraca de comidas típicas, que teve como carro chefe o quentão. “Nosso quentão foi o destaque da nossa barraca, uma receita deixada por uma pessoa muito especial, o Clovis – que foi um dos fundadores da entidade, mas que infelizmente nos deixou (faleceu) no ano passado. Ele não perdia um arraial de Santo Antônio. Por isso, essa edição tem um significado especial para nós da Amati”, pontua Sara Souza de Carvalho, presidente da Associação.

A barraca também vendeu maçã do amor, arroz carreteiro, caldo e pastel. Foram pelo menos mil itens vendidos.

Quem também comemora a renda obtida na festa é a Associação Especial de Atendimento ao Deficiente Mental, que por meio das vendas de pastel e cachorro-quente conseguiu arrecadar cerca de R$ 12 mil que vai entrar no caixa da entidade para ajudar na manutenção dos trabalhos.

Para o presidente Expedito Henrique de Melo, a festa foi um sucesso. “Eu quero deixar aqui registrada a minha alegria em participar desta festa. Com o valor arrecadado será possível quitar débitos referente a encargos trabalhistas e ainda ajudar as 120 famílias atendidas na instituição”.

A Sociedade Espírita Anorran Amor, Luz e Caridade ajuda cerca de 500 pessoas por semana, que buscam na entidade algum tipo de auxílio. A tesoureira Katie Pereira Viana disse que a entidade conseguiu levantar cerca de R$ 20 mil nos quatro dias do Arraial. Ela conta que o montante será usado para suprir as despesas habituais e também em prol da comunidade. “Atendemos um número significativo de pessoas que encontram ali amparo, porém, temos gastos com contas de água e luz, por exemplo, além de outras despesas que poderão ser pagas com essa renda”, enfatiza. O prato chefe da barraca foi o arroz pantaneiro. Mais de 300 unidades foram vendidas.

Arraial de Santo Antônio

O Arraial de Santo Antônio foi realizado de 10 a 13 de junho na Praça do Rádio Clube, em Campo Grande, com programação extensa de shows musicais e quadrilhas.

No evento também foram sorteados os violões autografados pelos artistas Luan Santana, Michel Teló e Maria Cecilia e Rodolfo, que doaram o instrumento autografado para incentivar a doação na Campanha do Agasalho, promovida anualmente pelo Fundo de Apoio à Comunidade (FAC).

As apresentações realizadas na Concha Acústica Família Espíndola, no centro da Praça do Rádio Clube, foram marcadas por músicos locais e artistas nacionais como: João Lucas e Walter Filho, Munhoz e Mariano, Aurélio Miranda, Grupo Uirapuru, Magron Escobar, Renato G Renan, Samba Pop, Patrícia e Adriana e João Carreiro.

A organização do tradicional Arraial ficou por conta da Secretaria Municipal de e (Sectur), e do Fundo de Apoio a Comunidade (FAC).