Cotidiano / Consumidor

Após falência de autoescola, mais de 70 alunos levam 'calote' e pedem reembolso em Campo Grande

CFC teve atividades encerradas pela fiscalização do Procon em fevereiro deste ano

Felipe Ribeiro Publicado em 13/08/2021, às 17h00

Ex-alunos da autoescola vão entrar na justiça contra a empresa
Ex-alunos da autoescola vão entrar na justiça contra a empresa - (Foto: Divulgação)

Mais de 70 ex-alunos da autoescola Campo Grande reivindicam valores pagos ao centro de formação de condutores (CFC), que foi fechado pelo Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor) em fevereiro deste ano. Os clientes chegaram a criar um grupo de 79 pessoas a fim de entrar na Justiça contra a empresa.

Eles alegam que a autoescola já havia suspendendo os serviços em virtude das restrições da pandemia. Mas, quando o atendimento foi restabelecido, os alunos que tinham aulas agendadas e outros procedimentos programados foram surpreendidos com a notícia de fechamento do estabelecimento.

“Minha namorada comprou um pacote em novembro de 2020. Ela fez a prova teórica e reprovou. Depois, ela teria que refazer a avaliação. Mas aí, a autoescola decretou falência, não devolveu o dinheiro das aulas que o pessoal já tinha pago e deixou todo mundo na mão”, explicou Rafael da Silva, quem acompanha de perto o caso de sua namorada, Myllena Ibarra.

Ela diz que prefere deixar seu parceiro resolver os assuntos e afirma que muitos do grupo de WhatsApp estão se organizando para recorrer à justiça para ter o reembolso. Rafael informou que já tentou entrar em contato com a autoescola, mas ninguém atende os telefonemas. O empresário disse que chamou o proprietário da empresa no WhatsApp, mas que o mesmo apenas recebe as mensagens e não as visualiza.

A reportagem tentou falar com o dono da autoescola Campo Grande, mas até a publicação desta matéria não recebeu nenhuma resposta sobre o assunto.

Jornal Midiamax