Cotidiano / Consumidor

Douradenses quebram quarentena e fazem aglomerações por ovos de páscoa

Com receio de ficar sem  ovos de Páscoa, alguns consumidores douradenses deixaram o isolamento de lado e decidiram enfrentar longas filas em lojas especializadas em chocolates na cidade. Apesar do estabelecimento fazer um controle de entrada, as pessoas estão nas ruas, mesmo sem máscaras, para conseguir garantir a guloseima. “Estou mantendo o distanciamento  necessário, conforme...

Marcos Morandi Publicado em 11/04/2020, às 11h51 - Atualizado às 12h04

Aglomerações estão concentradas em loja especializadas em chocolates.m (Foto:Marcos Morandi)
Aglomerações estão concentradas em loja especializadas em chocolates.m (Foto:Marcos Morandi) - Aglomerações estão concentradas em loja especializadas em chocolates.m (Foto:Marcos Morandi)

Com receio de ficar sem  ovos de Páscoa, alguns consumidores douradenses deixaram o isolamento de lado e decidiram enfrentar longas filas em lojas especializadas em chocolates na cidade.

Apesar do estabelecimento fazer um controle de entrada, as pessoas estão nas ruas, mesmo sem máscaras, para conseguir garantir a guloseima. “Estou mantendo o distanciamento  necessário, conforme solicitação da prefeitura”, disse a estudante Flávia Gonçalves Neves, aguardava a vez de entrar na loja.

Embora a Prefeitura  e polícia tenham alertado para que a população evitasse aglomerações, o cenário das ruas da região central é outro. Há filas também nas portas de lojas de roupas e outros estabelecimentos comerciais.

Recomendações

Mesmo com restrições previstas no decreto da prefeitura que flexibilizou a reabertura do comércio, os defensores públicos Etéocles Brito Mendonça Dias Júnior (10ª Promotoria de Justiça), Ricardo Rotunno (16ª PJ) e Luiz Gustavo Camacho Terçariol (17ª PJ) entenderam que a novas medidas favorecem a aglomeração de pessoas.

Por contas dos riscos de contaminação os promotores recomendaram que os que os estabelecimentos sejam novamente fechados .  O prazo dado por eles para que a Prefeitura possa se manifestar sobre as orientações é de 48 horas.

Até o momento a administração municipal ainda não se manifestou a respeito das orientações do três promotores de Dourados.

Jornal Midiamax