Em meio ao risco de uma nova epidemia de dengue, Mato Grosso do Sul anunciou nesta sexta-feira (9) que o Estado receberá 41.783 doses da vacina contra a doença. Contudo, o quantitativo de doses da primeira remessa está abaixo do esperado e 45 das 79 cidades do Estado ficarão de fora.

No dia 26 de janeiro, o Ministério da Saúde anunciou que Mato Grosso do Sul seria o primeiro Estado a beneficiar todos os munícipes com a vacina, vale lembrar que Dourados iniciou a vacinação em janeiro. Entretanto, a primeira remessa contemplará apenas 34 municípios que compõem a macrorregião de saúde de Campo Grande.

Conforme a SES (Secretaria de Estado de Saúde), a distribuição das doses foi determinada com base em três critérios principais: o ranqueamento das regiões de saúde e municípios, o quantitativo necessário de doses para a população-alvo conforme a disponibilidade (prevista pelo fabricante) e o cálculo do total de doses a serem entregues em uma única remessa ao município.

Prevista para ser iniciada ainda neste mês, a campanha vacinal terá como público-alvo crianças e adolescentes entre 10 e 14 anos, grupo de risco para a doença. Campo Grande deve receber 24 mil doses, no entanto, segundo a superintendente de Vigilância em Saúde da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), Veruska Lahdo, seria preciso cerca de 150 mil doses para imunizar o público-alvo na Capital.

Até o momento, o Ministério da Saúde não divulgou o horário exato de chegada dos imunizantes, que deve ocorrer entre esta sexta-feira (9) e a próxima segunda-feira (12). A SES também reiterou que a estratégia de vacinação do Ministério da Saúde pode sofrer alteração ao longo campanha.

Confira os municípios beneficiados:

  • Campo Grande 24.639 doses
  • Costa Rica 771
  • São Gabriel do Oeste 834
  • Maracaju 1.223
  • Jardim 731
  • Coxim 929
  • Guia Lopes da Laguna 297
  • Sidrolândia 1.435
  • Pedro Gomes 182
  • Chapadão do Sul 945
  • Rochedo 156
  • Anastácio 739
  • Camapuã 338
  • Bonito 715
  • Figueirão 108
  • Nova Alvorada do Sul 764
  • Aquidauana 1.460
  • Jaraguari 209
  • Miranda 883
  • Dois Irmãos do Buriti 338
  • Sonora 434
  • Ribas do Rio Pardo 746
  • Alcinópolis 115
  • Caracol 149
  • Corguinho 161
  • Bela Vista 683
  • Rio Verde de Mato Grosso 549
  • Paraíso das Águas 184
  • Terenos 506
  • Rio Negro 129
  • Nioaque 390
  • Porto Murtinho 463
  • Bodoquena 269
  • Bandeirantes 221

O ciclo completo de imunização é atingido com as duas doses e a Qdenga apresentou, nos ensaios clínicos, ter eficácia geral de 80,2% contra a dengue causada por qualquer sorotipo após 12 meses da segunda dose. A vacina também reduziu as hospitalizações em 90%. Segundo o laboratório Takeda, a vacina garante imunização contra a dengue por até cinco anos.

A vacinação em massa é desenvolvida pela Sems (Secretaria Municipal de Saúde), em parceria com o laboratório japonês Takeda, que desenvolveu a vacina Qdenga. O imunizante já está disponível na rede privada de saúde e tem imunidade completa em duas doses, sendo que a segunda deve ser aplicada após três meses da primeira.

Como prevenir?

Prevenção a dengue

Além da dengue, o mosquito Aedes aegypti também é transmissor de doenças como a chikungunya e o Zika Vírus, por isso, é essencial adotar medidas para evitar a proliferação e contaminação:

  • Evitar água parada, em qualquer época do ano, mantendo bem tampado tonéis, caixas e barris d’água ou caixas d’água;
  • Acondicionar pneus em locais cobertos;
  • Remover galhos e folhas de calhas;
  • Não deixar água acumulada sobre a laje;
  • Encher pratinhos de vasos com areia até a borda ou lavá-los uma vez por semana
  • Fazer sempre a manutenção de piscinas.

Sintomas de dengue

Os principais sintomas da dengue incluem febre alta, dor de cabeça intensa, dor nas articulações e erupção cutânea. Além disso, a SES recomenda estar atento aos sinais de alarme, que podem incluir dor abdominal intensa, vômitos persistentes, diarreia, fadiga e sangramento de mucosas.

Bianca Modafari Godoy ressalta que, em casos de suspeitas de dengue, a recomendação é manter-se hidratado e em repouso, além de buscar atendimento em uma unidade de saúde. 

“Importante ressaltar que não deve se automedicar, pois caso faça uso de anti-inflamatórios como aspirinas pode piorar a coagulação sanguínea e consequentemente o estado de saúde, já que a dengue pode causar hemorragia”.

Serviço

Em caso de dúvidas, entre em contato com o Plantão CIEVS Estadual através do disque-notifica pelos telefones: (67) 9 8477-3435, 0800-647-1650 ou (67) 3318-1823.