A aplicação de sobras de vacinas bivalentes de Covid-19, conhecida como “xepa”, ficará restrita aos quatro grupos prioritários em Mato Grosso do Sul – pelo menos até que novos quantitativos sejam enviados ao Estado.

A aplicação de doses remanescentes em listas de espera é uma prática adotada para evitar o desperdício das mesmas. Isso porque, considerando que os frascos costumam ser multidoses (a partir de um só frasco é possível vacinar várias pessoas), o tempo de utilização das vacinas diminui após a primeira imunização.

Desta forma, para ampliar a cobertura da Pfizer Bivalente, o Governo de Mato Grosso do Sul liberou a aplicação das doses remanescentes nos 79 municípios – mas somente para o público das 4 fases da Campanha.

Conforme a divisão anunciada pelo , a imunização será feita na fase 1 em pessoas acima de 70 anos de , imunocomprometidos, indígenas, ribeirinhos e quilombolas; na fase 2, pessoas com idade entre 60 anos e 69 anos de idade; na fase 3, gestantes e puérperas; e na fase 4, profissionais de saúde.

Flexibilidade na aplicação dentro das 4 fases

Para a coordenadora estadual de Vigilância Epidemiológica da SES, Ana Paula Rezende de Oliveira Goldfinger, o objetivo da ação implementada no fim de fevereiro foi otimizar as doses remanescentes da vacina e ampliar a cobertura devido à baixa procura pelo imunizante no Estado.

“Recomendamos aos municípios a flexibilidade na oferta, ainda de modo a respeitar os grupos prioritários elencados em cada fase. Assim, os pacientes pertencentes as fases 1, 2, 3 e 4, neste momento, poderão ser atendidas a depender da estratégia de cada município, devendo em caso de escassez, priorizar as fases até que seja enviada novas remessas de imunizante”, relata.

Chegada da primeira remessa de vacinas contra a Covid-19 em 2021 | Foto ilustrativa | Marcos Ermínio | Jornal Midiamax

Ana Paula ainda destaca que os municípios continuem com a busca ativa de todos os públicos elencados pela Campanha. “E que a população procure uma unidade de saúde ou local indicado para receber a dose de reforço da Bivalente no seu município”.

Vale lembrar que, em Campo Grande, devido ao quantitativo de doses e ao tamanho do público-alvo atual, a aplicação de doses remanescentes será feita apenas nos profissionais de saúde que ainda não estiverem dentro da faixa etária contemplada, conforme nota da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde).

Doses da vacina bivalente em MS

A SES informou que recebeu do Ministério da Saúde 242.196 doses da vacina Pfizer Bivalente enviadas em duas remessas, sendo o quantitativo necessário para suprir a população estimada da 1ª fase da campanha.

Deste total, a SES dispõe de 170 mil doses em estoque na sede da Coordenadoria Estadual de Vigilância Epidemiológica. E o Ministério da Saúde já sinalizou o envio de mais 200 mil doses da Bivalente para iniciar a imunização do grupo da fase 2 da campanha.

Saiba Mais