Um vigilante, de 27 anos, que preferiu não ser identificado, procurou a delegacia de polícia após ser constrangido em um supermercado do Jardim Colúmbia, em Campo Grande, na noite de domingo (16), por ser detido por funcionários enquanto o Pix demorava a cair na conta do estabelecimento.

Segundo o consumidor, por volta das 19h30, foi ao supermercado para comprar o óleo de moto e um pacote de biscoito recheado. A conta totalizou R$ 39,80 e foi paga pela transferência do PIX, entretanto, o estabelecimento alegou que o valor não caiu na conta, momento em que esperou e teria sugerido ao caixa que deixaria os produtos, retornando quando o valor caísse, mas não houve negociação.

“A prevenção e um segurança não me deixaram ir embora. Mostrei o comprovante que saiu da minha conta, mas a todo momento me falaram que era um agendamento. Agora, como que não podia ir embora se estava deixando o produto? Depois de 30 minutos o PIX caiu na conta do mercado”.

comprovante
Comprovante do PIX (Fala Povo)

O rapaz ressalta que o valor foi estornado pelo local, mas procurou a polícia pelo constrangimento. “Totalmente despreparados, não sabem atender o público, não tiveram respeito. Isso seria resolvido facilmente, já que sugeri deixar as coisas e voltar no dia seguinte para pegar, com o valor na conta, conferir se estivesse ok, mas preferiram me deixar lá”.

A reportagem entrou em contato com os telefones disponíveis para atendimento, mas não obteve retorno. O espaço segue aberto para um pronunciamento.

Fale com o Midiamax

Tem alguma denúncia, flagrante, reclamação ou sugestão de pauta para o Jornal Midiamax? Envie direto para nossos jornalistas pelo WhatsApp (67) 99207-4330. Acima de tudo, o sigilo é garantido por lei.

Acompanhe nossas atualizações no Facebook, Instagram e Tiktok.