O governador de Mato Grosso do Sul, (PSDB), afirmou ter discutido parceria para ações de saúde e segurança aos povos indígenas do Estado durante reunião com a ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara.

O encontro ocorreu neste sábado (18), durante de Guajajara ao Mato Grosso do Sul.

“Discutimos pontos de convergência para uma atuação em parceria entre o Governo do Estado e Governo Federal, no que diz respeito ao apoio dessas comunidades, em várias questões como, saúde, educação, segurança”, disse Riedel.

Após a reunião, Riedel também afirmou que discutiu os caminhos para que as questões de demarcações de terras sejam solucionadas “definitivamente” em Mato Grosso do Sul.

Sônia Guajajara afirmou estar disposta a retomar o espaço de diálogo para avançar os processos de demarcação de terra.

“É importante estabelecer esse diálogo com o Governo do Estado e produtores para encontrar uma alternativa em comum”, comentou

“Tivemos uma conversa muito produtiva. Só com uma ação compartilhada entre entes federativos, municípios e estados é que vamos avançar nesse cumprimento dos direitos constitucionais”, finalizou Guajajara.

Ministra afirma que vai avançar com demarcações

Sônia Guajajara afirmou que os processos de demarcação de terras indígenas de Mato Grosso do Sul irão avançar. Em visita à comunidade Laranjeira Nhanderu neste sábado (18), Sônia firmou compromisso do processo demarcatório.

“Digo sem medo, que a gente vai avançar com os processos de demarcação de terras indígenas no Brasil e aqui em Mato Grosso do Sul. Nós vamos avançar com os processos demarcatórios”, afirmou.

Então, a ministra comentou sobre o processo demarcatório nas terras de , em Mato Grosso do Sul. “Aqui nesse espaço que a gente está tem um processo já com estudo de identificação e delimitação concluído”, pontuou.

Segundo Sônia, o processo está nas mãos da , que irá qualificar o relatório. “Foi entregue para a Funai na gestão passada e a Funai agora, na gestão da presidenta Joenia, está assumindo aqui o compromisso de qualificar esse relatório”, explicou.

Logo após, a Funai irá entrar em contato com a comunidade. “Vamos qualificar esse relatório, a Funai vai voltar aqui, para a gente poder atualizar junto com vocês”, garantiu.

Lula pediu visita de ministra a MS

Durante o discurso, Sônia disse que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) reforçou o compromisso com a homologação das terras indígenas.

Conforme a ministra, o presidente deseja que ela e a presidente da Funai (Fundação Nacional dos Povos Indígenas), Joenia Wapichana, entreguem os processos de demarcação.

“A gente precisa demarcá-las logo, antes que as pessoas se apoderem delas. Antes que as pessoas inventem documentos falsos, escrituras falsas e digam que são donas da terra”, disse Lula em visita à comunidade de Roraima.

Assim, Sônia destacou que a visita a MS é cobrada por Lula desde antes da criação do Ministério dos Povos Indígenas. “Presidente Lula também falou para mim: Soninha, vai lá em Mato Grosso do Sul e ele falou ainda antes de eu ser nomeada ministra. Ele disse: Eu quero que você vá em Mato Grosso do Sul. E agora semana passada ele voltou a me perguntar: Você foi lá?”, contou.

A ministra admitiu que tinha agenda confirmada em MS, porém acabou desmarcanto o compromisso. Em seguida, agendou visita neste sábado (18).

Para Sônia, o presidente disse “Vai lá e me traga qual é a situação de Mato Grosso do Sul”. Então, Sônia destacou a situação das terras em MS e explicou a separação da Funai do Ministério da Justiça.

Saiba Mais