A Prefeitura de Três Lagoas, a 325 quilômetros de Campo Grande, investiga a suspeita de ato criminoso no incêndio que atingiu a reserva ambiental entre o viveiro e o grêmio da Cesp (Companhia Energética de São Paulo), na noite de quinta-feira (20). Cerca de 20 hectares foram destruídos.

Para o município não há dúvidas de criminalidade, pois foram encontrados seis pontos de início das chamas, um distante do outro, o que indica combustão proposital.

“As chamas se espalharam rapidamente, consumindo a vegetação ressecada, levantando fumaça até as propriedades vizinhas e BR-262, proximidades do Atacadão e ameaçando os animais silvestres presentes na mata”, disse o secretário da Semea (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agronegócio), Mauro De Grandi.

Durante a destruição, animais como lobos-guarás, tamanduás, cotias, veados, tatus e aves foram vistos fugindo do trecho. O combate durou cerca de quatro horas com apoio de servidores e do Corpo de Bombeiros.