Mato Grosso do Sul vive uma ‘explosão’ de casos de Covid e novo boletim do Infogripe da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) mostrou que o Estado é o único no país que aparece com nível ‘extremamente alto’ de doenças respiratórias.

O documento divulgado nesta quinta-feira (12) mostra que parte de MS, que seriam as regiões do Pantanal e parte do Norte as mais afetadas por doenças respiratórias na primeira semana epidemiológica do ano avaliado pelo instituto.

No mapa é especificado os níveis da doença no Brasil e apenas Mato Grosso do Sul é classificado com indicador vermelho. As internações a nível nacional para a Covid também segue em alta, avaliou o boletim. Confira:

Imagem: reprodução, Fiocruz

Conforme o Painel Mais Saúde da SES (Secretaria Estadual de Saúde), a ocupação de leitos em MS está da seguinte forma: 62,69% dos leitos clínicos estão ocupados, desses 11,82% são por pessoas com Covid. Já os leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), 74,86% estão ocupados, 10,71% desse total são por pacientes em estado grave da Covid.

Conforme o boletim, a Covid segue prevalecendo entre os casos de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) em todo país. Por isso, o pesquisador Marcelo Gomes reforça a importância de manter a vacinação em dia.

“As vacinas aprovadas não só são seguras, como também reduzem significativamente o risco de internação. Tomar todas as doses recomendadas é a nossa melhor ferramenta”, pontuou o coordenador do InfoGripe.

MS chegou a 600.704 casos confirmados da doença e 10.961 de mortos. No total, são mais de 1,7 milhão de notificações da doença no Estado.

Vacinação em crianças

Gomes ressalta ainda a relevância da vacinação contra a Covid-19 em crianças. Até o momento, apenas cerca de 39% da população infantil de 3 a 11 anos finalizou o esquema vacinal contra a doença no país. “Nós chama atenção que, infelizmente, atualmente um percentual importante da população tem se mostrado em dúvida se vale a pena ou não vacinar principalmente as crianças e adolescentes”, ressaltou.

Nos primeiros dois anos da pandemia, segundo estudo da Fiocruz, a doença foi responsável pela morte de duas crianças de até 5 anos por dia no Brasil.

“A Covid-19 continua sendo o principal motivo de internação por problemas respiratórios na população adolescente e adulta de nosso país. É isso que os dados de notificação têm nos mostrado. Dado esse cenário, é fundamental que a população esteja em dia com a vacinação contra a Covid-19. A vacina é nosso principal mecanismo para proteger a nossa saúde e a nossa vida contra a Covid-19”, afirmou o pesquisador.

‘Explosão’ de casos de Covid

Dados da SES (Secretaria Estadual de Saúde) revelam progressão da covid-19 em Mato Grosso do Sul. Conforme boletim epidemiológico, divulgado na última terça-feira (10), na última semana o Estado registrou 14 novos óbitos relacionados à doença, no entanto, o documento ainda lista outras seis que estavam em investigação, aumentando para 20 as mortes incluídas nesta semana. O Estado vive uma ‘explosão’ de novos casos, com aumento de 1.800% só em Campo Grande.

Com as novas mortes, sobe para 10.944 o total de óbitos desde o início da pandemia, realidade crítica que se repete na quantidade de casos confirmados. Na última semana, foram 1.082 casos confirmados, elevados para 2.887 em razão dos casos represados de semanas anteriores. Até agora, 599.285 sul-mato-grossenses já tiveram diagnóstico positivo para a doença.

As novas mortes inseridas são de 14 homens e seis mulheres das cidades de Água Clara, Terenos, Rio Verde, Campo Grande, Dourados, Nioaque, Batayporã, Sidrolândia, Paranaíba, Angélica, Nova Andradina, Corumbá e Ladário. Todas as vítimas são idosas e tinham comorbidades relatadas, exceto um homem de 33 anos, morador de Sidrolândia.