Dados da SES (Secretaria Estadual de Saúde) revelam progressão da em Mato Grosso do Sul. Conforme boletim epidemiológico, divulgado nesta terça-feira (10), na última semana o Estado registrou 14 novos óbitos relacionados à doença, no entanto, o documento ainda lista outras seis que estavam em investigação, aumentando para 20 as mortes incluídas nesta semana. O Estado vive uma ‘explosão' de novos casos, com aumento de 1.800% só em Campo Grande.

Com as novas mortes, sobe para 10.944 o total de óbitos desde o início da pandemia, realidade crítica que se repete na quantidade de casos confirmados. Na última semana, foram 1.082 casos confirmados, elevados para 2.887 em razão dos casos represados de semanas anteriores. Até agora, 599.285 sul-mato-grossenses já tiveram diagnóstico positivo para a doença.

As novas mortes inseridas são de 14 homens e seis mulheres das cidades de Água Clara, Terenos, Rio Verde, , Dourados, Nioaque, Batayporã, Sidrolândia, Paranaíba, Angélica, Nova Andradina, e Ladário. Todas as vítimas são idosas e tinham comorbidades relatadas, exceto um homem de 33 anos, morador de Sidrolândia.

Internações

Os números do boletim epidemiológico também apontam para aumento no uso dos leitos hospitalares. Ao todo, 59 pacientes estão internados, 24 deles em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e 35 em áreas clínicas. Além dos pacientes hospitalizados, 2.274 estão em isolamento domiciliar.

Casos explodem e vacinação não avança

Mesmo com o aumento de casos positivos de Covid-19 ao longo de dezembro acima de 1.800%, a vacinação em Campo Grande se mantém estável nos primeiros dias de 2023. Segundo a (Secretaria Municipal de Saúde), o destaque na procura dos imunizantes fica com as doses de reforço, que representam 84,73% das vacinas.

Desde 1º de janeiro, 1.258 doses de imunizantes contra a Covid-19 foram aplicadas, sendo 1.066 de reforço entre primeira ou segunda dose. Desse total, 88 foram em entre seis meses e 11 anos de idade que iniciaram o esquema vacinal ou que receberam a segunda dose.

Na avaliação da Sesau, a aplicação dos imunizantes manteve-se em estabilidade com, aproximadamente, 300 doses por dia, a mesma média diária de doses aplicadas nos últimos meses de 2022.