Pesquisa que entrevistou 21 mil brasileiros por telefone, na chamada Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e para Doenças Crônicas), organizada pelo Ministério da Saúde, aponta que as mulheres de Campo Grande estão entre as mais diabéticas.

O inquérito da saúde brasileira mostra que, quando o assunto é diagnóstico de , as mulheres de só estão atrás das mulheres de Fortaleza. Em terceiro lugar nos diagnósticos vêm a capital São Paulo, seguida por Macapá, São Luís e Porto Velho.

Durante a pesquisa, pessoas maiores de 18 anos, em todas as capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal, foram questionadas: ‘Algum médico já lhe disse que você tem diabetes?’. Segundo o Vigitel, no conjunto das 27 cidades, a frequência do diagnóstico médico de diabetes foi de 10,2%, sendo maior entre as mulheres (11,1%) do que entre os homens (9,1%). Em ambos os sexos, a frequência dessa condição aumentou intensamente com a e diminuiu com o nível de escolaridade.

“É muito expressiva a posição de Campo Grande. Isso acende um alerta e exige ações práticas” pontua o nutricionista. “Recebemos no consultório diariamente homens e mulheres em busca de tratamento para o diabetes, mas precisamos atuar de forma preventiva. Foi então que pensamos no Saúde em Dia, onde reunimos educador físico, farmacêutico, eu e estudantes de nutrição, fazendo exames de bioimpedância e de glicose gratuitos, oferecendo alternativas para a prevenção e diagnóstico precoce”, completa o nutricionista Emerson Duarte.

Nesta terça-feira (14), data alusiva ao Dia Mundial da Diabetes, o profissional diz que fará uma ação gratuita com bioimpedância e exame de glicose.

Serviço:

A ação Saúde em Dia é voluntária e gratuita e acontecerá na próxima terça-feira (14), das 8h às 15h, no Bioma Empório Natural, localizado na Rua Raul Pires Barbosa, 989, Chácara Cachoeira, em Campo Grande.