Apesar da reunião agendada para esta segunda-feira (23) com o prefeito de Corumbá, Marcelo Lunes, não ter sido suficiente para evitar a greve dos servidores da Educação no município, que fica localizado a 417 km de Campo Grande.

O Simted (Sindicato dos Trabalhadores em Educação), convocou uma paralisação de três dias, que começou nas primeiras horas de hoje.

Aderiram completamente à paralisação, 15 escolas municipais, enquanto outras 16 participam parcialmente do movimento, e apenas duas escolas não se uniram ao protesto.

As unidades que aderiram à greve são:

  • E.M. Cyríaco F. de Toledo
  • E.M. Delcídio do Amaral
  • E.M. Fernando de Barros
  • E.M. Pedro Paulio de Medeiros
  • E.M. Professor Djalma de Sampaio  Brasil
  • E.M. Rachid Bardauil
  • E.M. Rural de Educação Integral Eutrópria Gomes Pedrodo
  • E.M. Rural de Educação Integral Monte Azul
  • E.M. Rural Paiolzinho
  • Cemei Eunice Ajala
  • Cemei Inocência Cambará
  • Cemei Rosa Josetti
  • Cemei Laida Menacho
  • Cemei Maria Candelária
  • Cemei Valódia Serra

As unidades que aderiram parcialmente à greve foram:

  • E.M. Almirante Tamandaré
  • E.M. Ângela Maria Pérez – Apenas o EJA
  • E.M. Barão do Rio Branco
  • E.M. Clio Proença
  • E.M. Caic
  • E.M. Dr. Cássio Leite de Barros
  • E.M. Izabel Corrêa
  • E.M. José de Souza Dammy – Apenas o EJA
  • E.M. Luiz Feitosa Rodrigues
  • E.M. Tilma Fernandes Veiga
  • E.M. Rural de Educação Integral Luiz de Albuquerque
  • Cemei Ana Gonçalves
  • Cemei Maria Benvinda
  • Cemei Estrelinha Verde
  • Cemei Hélia da Costa Reirs
  • Cemei Miriam Mendes

Unidades que não aderiram à greve:

  • E. M. Rural Carlos Cárcano
  • Cemei Catarina Anastácio

Assembleia Geral

Entre as principais reclamações estão o reajuste salarial do Magistério e a implementação do Plano de Cargos e Carreira da Educação e dos Administrativos.

Embora uma reunião com o prefeito tenha sido agendada para esta segunda-feira após um ofício enviado pelo Executivo municipal à direção do Simted Corumbá na sexta-feira (20), o sindicato destaca que a simples audiência com o Chefe do Executivo não é suficiente. Eles insistem que suas reivindicações precisam ser atendidas e, para isso, estão mobilizando a classe através da greve.

Após o encontro com o prefeito, está marcada uma Assembleia Geral para esta tarde, onde os trabalhadores discutirão as propostas apresentadas pelo executivo para a categoria. Durante essa assembleia, novas estratégias para a Paralisação serão debatidas.