Em memória dos 40 anos do brutal assassinato de Marçal de Souza Tupã’i, líder Guarani e Kaiowá, que foi umas das vozes indígenas mais importantes do país, um evento com diversas atividades acontecerá em e , entre os dias 22 e 25 de novembro.

Marçal de Souza foi assassinado no dia 25 de novembro de 1983, com cinco tiros, em sua casa, na aldeia Campestre, no município de Antônio João. O caso, impune até hoje, continua sendo lembrado, principalmente pela luta do líder indígena pela remarcação de terras no Mato Grosso do Sul.

A atividade é realizada pela Aty Guasu – Grande Assembleia dos Povos Kaiowá e Guarani; Cimi (Conselho Indigenista Missionário); pelos familiares de Marçal de Souza; (Universidade Federal da Grande Dourados); e MPF (Ministério Público Federal).

Atividades em escola e carta simbólica do Papa Francisco

A semana começa com atividades lúdicas e exibições audiovisuais que homenageiam a memória de Marçal de Souza, nas escolas indígenas na Reserva Indígena de Dourados. As atividades acontecem nos dias 22 e 23.

No dia 24, uma carta enviada pelo atual pontífice , será entregue simbolicamente pelo bispo de Dourados, Dom Henrique Aparecido de Lima em uma à Assembleia Geral dos Kaiowá e Guarani, no tekoha Kunumi Vera, em Caarapó.

A carta é destinada à Aty Guassu, e trata-se de uma resposta do Papa Francisco a uma manifestação entregue a ele em maio deste ano. A ocasião é simbólica para a população indígena, pois, em 1980, o líder Guaraní Nhandeva discursou para o Papa São João Paulo II, em , denunciando a dura realidade do seu povo.

Confira a programação completa do evento

 Dia 22/11

Atividades lúdicas, audiovisuais e festivas sobre a vida e as lutas de Marçal de Souza, Tupã’i
Horário: 
8h
Local: Escola Municipal Indígena Agustinho, aldeia Bororó, Reserva de Dourados

Dia 23/11

Atividades lúdicas, audiovisuais e festivas sobre a vida e as lutas de Marçal de Souza, Tupã’i
Horário: 
8h
Local: Escola Municipal Indígena Tengatuí Marangatu, na aldeia Jaguapiru, Reserva Indígena de Dourados

Atividades lúdicas, audiovisuais e festivas sobre a vida e as lutas de Marçal de Souza, Tupã’i
Horário: 
14h
Local: Escola Municipal Indígena Ramão Martins, na aldeia Jaguapiru, Reserva Indígena de Dourados

Dia 24/11

Aty Guasu – entrega da carta do Papa Francisco aos Kaiowá e Guarani
Horário:
 8h
Local: Tekoha Kunumi Vera, Caarapó (MS)

Ato público: Apyka’ i Vive! Damiana Presente!
Horário: 
11h30
Local: Tekoha Apyka’i, rodovia MS-463

Tarde formativa
Missão junto aos povos indígenas em tempos de sinodalidade
Horário:
 14h
Local: Instituto Pastoral da Diocese de Dourados (IPAD)

Memória martirial encenada: Vida e história de Marçal Tupã’i
Encenado pelo grupo Teatro Imaginário Maracangalha
Horário: 18h
Local: Praça central Antônio João, Dourados (MS)

Celebração da Missa da Terra Sem Males
Celebrada por Dom Leonardo Ulrich Steiner, cardeal-arcebispo de Manaus e presidente do Cimi, e por Dom Henrique Aparecido de Lima, bispo de Dourados
Horário: 18h30
Local: Catedral de Dourados (MS)

Dia 25/11

Resistência e memória: Marçal 40 anos, presente!

Abertura
Reza tradicional dos Nhanderu e Nhandesy Kaiowá e Guarani
Horário: 
8h
Local: Cine-auditório Central, Unidade 1, UFGD

Mesa de debate
Marçal: história, presença e futuro nas lutas indígenas

Participantes:
Edina de Souza, filha de Marçal de Souza
Teodora de Souza, sobrinha de Marçal
Inaye Kaiowá
Jorge Kaiowá, liderança do tekoha Pirakua

Horário: 8h30
Local: Cine-auditório Central, Unidade 1, UFGD

Mesa de debate
Justiça por Marçal e para os mártires da causa Guarani

Participantes:
Paulo Suess, assessor teológico do Cimi
Egydio Schwade, membro-fundador do Cimi
Marco Antonio Delfino, integrante do Ministério Público Federal (MPF/MS)
Egon Heck, membro-fundador do Cimi

Horário: 10h30
Local: Cine-auditório Central, Unidade 1, UFGD

Tekoporaha: memória, luta e resistência de Marçal de Souza
Horário:
 14h
Local: Casa do Marçal de Souza na aldeia Jaguapiru, Reserva Indígena de Dourados