Com intuito de debater o modelo alfandegário a ser adotado pelos países que compõem a , recebe nesta quinta (26) e sexta-feira (27), o ‘Seminário de instrumentos de trânsito internacionais para dinamizar o Corredor Bioceânico’. O evento reúne autoridades brasileiras, sul-americanas e empresários do setor.

Na abertura do evento, o Ministro da carreira diplomática do Ministério das Relações Exteriores, João Carlos Parkinson, destacou que a construção do Corredor Biocêanico, mostra ao mundo, o potencial competitivo de Mato Grosso do Sul.

“Será um mercado de R$ 180 milhões de consumidores, esses corredores irão dinamizar as exportações brasileiras na região de fronteira. Esse corredor é fonte de inveja para outros estados que admiram o avanço que vem ocorrendo na região de fronteira”.

Seminário Rota Biocêanica (Graziela Rezende, Midiamax)

O principal intuito do evento é debater o Convênio TIR, que promete revolucionar o transporte rodoviário internacional. A iniciativa, sob supervisão da IRU – organização sediada em Genebra – opera em parceria com a UNECE (Comissão Econômica das Nações Unidas para a Europa).

“O TIR promete ser um divisor de águas, melhorando a conectividade dos sistemas de transporte e trânsito do Brasil. Ele não apenas otimiza os processos, mas também reforça a segurança e a eficácia”, afirma Umberto Pretto, secretário Geral da IRU.

Ministro
Ministro debateu modelo alfandegário da rota (Graziela Rezende, Midiamax)

Ainda segundo o ministro, a Rota Bioceânica será um importante instrumento em situação de emergência sanitária, pois irá facilitar o transporte de insumos entre os países.

“Vivemos crises políticas e sanitárias fruto das crises geopolítica, isso afeta o abastecimento de insumos estratégicos, a pandemia foi um grande exemplo em que houve todo um transtorno para buscarmos equipamentos médicos, vacinas e agora será feito de forma estratégica”, argumentou João Carlos Parkinson.

Ponte que liga Brasil e Paraguai deve ficar pronta em 2025

Ponte
Obras da ponte do Rio Paraguai (Divulgação, Semadesc)

Considerada o portal de entrada do corredor internacional, a obra da ponte sobre o Rio Paraguai, entre e Carmelo Peralta, deve ficar pronta em dois anos. A obra que ligará as cidades de Carmelo Peralta (PY) e Porto Murtinho (BR) superou os 30% de execução, segundo o último laudo da empreiteira.

“Na parte brasileira, a previsão é que a ponte seja finalizada no primeiro semestre 2025, o último bloco do Transchaco já foi licitado e obras começaram no segundo semestre de 2023”, disse o ministro.

A ponte terá 1.294 metros e investimento de US$ 85 milhões, o que, segundo o governo do Estado, deve refletir positivamente na economia de Porto Murtinho, uma vez que a cidade está recebendo capital privado em investimentos na rede hoteleira e estrutura para receber caminhoneiros e oficinas.

Confira a programação:

  • Dia 26.10.2023
  • 8:30 – Credenciamento
  • 9:15 – Abertura
  • 9:45 – Apresentação da Rota Bioceânica no Estado de Mato Grosso do Sul – Palestrante: Ministro João Carlos Parkinson De Castro
  • 10:30 – O Corredor Rodoviário Bioceânico: Uma conexão de oportunidades – Palestrante: Cícero R. Melo Filho – INFRA S.A
  • 11:15 – TIR – Funcionamento e Benefícios – Palestrante: LUCAS LAGIER – IRU
  • 12:00 – Almoço
  • 13:30 – A utilização do TIR no Corredor Bioceânico – Palestrante: Edson Introvini – do Brasil
  • 14:15 – Etapas para implementação do TIR no Brasil – Palestrantes: Ana Taliberti – IRU
  • 15:00 – Procedimento para obtenção de certificação para transportes internacionais – Palestrante: ANTT (Representante Da Agência Nacional De Transportes Terrestres Do Brasil)
  • 15:45 – Abertura para perguntas e respostas
  • 16:15 – Coquetel
  • 17:30 – Encerramento do primeiro dia
  • Dia 27.10.2023
  • 9:30 – Mesa Redonda – Como melhorar a eficiência do corredor Bioceânico no trânsito internacional – Palestrantes: Representantes Do Setor Privado Da Argentina, Brasil, Chile, Paraguai E Uruguai
  • 11:00 – Abertura para perguntas e respostas
  • 11:30 – Encerramento do segundo dia