Em menor extensão desde que foi montado, o acampamento dos apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro passou a ter estruturas desmontadas em frente ao CMO, em Campo Grande. Em dia de posse do presidente Lula, faixas estavam sendo retiradas, assim como bandeiras e estruturas.

Foto: Reprodução

Vídeo encaminhado por leitor do Midiamax mostra alguns dos manifestantes retirando bandeiras e local, que já chegou a juntar dezenas de pessoas, passou a ter menor concentração. Famílias chegaram a passar o Natal no local e montaram, inclusive, árvore.

Há dois meses acampados em frente ao quartel, os manifestantes organizaram o alojamento com barracas e tendas, banheiro químico e cartazes pedindo intervenção militar, após o resultado das eleições presidenciais, ao longo da Avenida Duque de Caxias.

O movimento chegou a ter reduzida, conforme relatos, após Jair Bolsonaro (PL) fazer um pronunciamento ao vivo na sexta-feira (30) para agradecer aos seus eleitores pelos 4 anos de gestão e também para dizer que o Brasil ‘não vai acabar no dia 1º de janeiro’. A frase foi repetia ao menos quatro vezes durante o pronunciamento.