Entre os dias 30 e 31 de outubro e 1º de novembro, o -MS (Departamento Estadual de de Mato Grosso do Sul) promove o segundo mutirão de exames práticos para alunos com processos de habilitação prestes a vencer. O agendamento começa na sexta-feira (27). Reportagem do Jornal Midiamax desta terça-feira (24) revelou que falta de vagas para agendamento de exames têm atrapalhado futuros motoristas que estão com processos de atrasados.

A ação acontecerá em Campo Grande e vai disponibilizar 1.520 vagas para exames práticos. Ao todo, serão 1.150 para categoria B, 300 para A, 10 para C, 30 para D e outros 30 na categoria E. 

O mutirão é válido para alunos que começaram o processo de CNH (Carteira Nacional de Habilitação) entre 2019 e 2022, portanto, com prazo de conclusão prestes a expirar. 

No primeiro mutirão, realizado nos dias 9 e 10 de outubro, foram abertas 865 vagas, 400 no primeiro dia e 465 no segundo dia. No total, 90% das vagas foram preenchidas.

Para reduzir a demanda represada da pandemia, desde junho o Detran disponibiliza em média de 200 vagas para exames aos sábados.  

Na Capital são realizados exames todos os dias, e em média são disponibilizadas entre 150 a 200 vagas, a depender da banca examinadora. “Nas semanas que não houver deslocamento da banca examinadora para o interior, o quantitativo de vagas será ampliado para oportunizar o atendimento aos alunos que deixaram para realizar o exame prático perto do prazo final. Da mesma forma, em alguns municípios do interior com maior demanda, o exame prático será estendido para o sábado”, afirma Luiz Fernando Ferreira, diretor de habilitação.

Com poucas vagas, alunos ficam ‘represados’

Por conta da grande demanda, o tempo que os alunos ficam sem praticar é grande e acabam não indo tão bem ao fazer o exame, segundo relatos colhidos pela reportagem. Conforme o dono de uma das autoescolas da Capital, Dionnes Jorge, as unidades tentam marcar os exames para logo após a última aula prática, mas isso não está mais acontecendo.

“A gente já programa o exame do aluno próximo do final dessas aulas, para que os alunos tenham mais sucesso, estão com a memória fresca ainda; prática recente”, explica ao Jornal Midiamax.

Porém, sem conseguir seguir esse esquema, as unidades acabam virando alvo dos alunos decepcionados. “Os alunos ficam bravos porque eles vão fazer só para outra semana a prova. Aí vai ficar uma semana sem dirigir. Tem alguns que até compram aulas práticas para treinar durante aquela semana, para na outra semana fazer o exame”, diz.

“E aí quando chega na outra semana, o que acontece? Não consegue agendar o exame novamente. Muitos processos estão até vencendo”, finaliza o empresário. Segundo ele, além de poucos examinadores – problema enfrentado há tempos – outro fator tem influenciado na quantidade de alunos querendo marcar o exame.

Saiba Mais