Candidatos dos concursos para oficiais e soldados da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul questionam a participação de um policial militar designado para a comissão técnica do Exame de Capacidade Física, já que ele também seria instrutor em um curso de preparação física para concursos policiais e das forças armadas.

De acordo com o último edital que alterou o cronograma do concurso, essa etapa está marcada para os próximos sábados, dia 29 de julho e 5 de agosto. 

Já a designação do policial para participar do teste de aptidão física foi publicada no DOE (Diário Oficial do Estado) desta quarta-feira (26).

Contudo, alguns candidatos do concurso relataram preocupação com a designação do agente da Polícia Militar para a comissão, já que pelo menos 70 concorrentes participam do curso preparatório em que ele daria aulas e poderiam ser beneficiados ou ter interferências no resultado do teste.

Nas redes sociais do curso, inclusive, há fotos e menções ao perfil do policial militar. 

“O medo dos candidatos é que ainda que ele seja substituído, se não for proibido deles [alunos do curso preparatório] usarem a camisa do treino ainda são identificáveis e possam ter algum privilégio em relação aos demais candidatos”, disse um candidato ao Midiamax. 

Governo diz que policial era colaborador

A Polícia Militar respondeu em nota que o agente não é instrutor do curso e que ele atuava como “colaborador em um simulado devido à grande quantidade de alunos”.

“Contudo, para garantir a lisura do processo a SAD [Secretaria de Estado de Administração] irá retirá-lo da referida comissão”, diz a nota. 

A previsão é que a exclusão da comissão técnica seja publicada no DOE de quinta-feira (27).