O bebê de um ano internado em um hospital de Campo Grande com suspeita de febre maculosa apresenta quadro estável, informou a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), nesta terça-feira (20). 

Familiares e pessoas que tiveram contato com a criança não passaram por exames porque não apresentaram sintomas, conforme foi repassado para o setor de Vigilância Epidemiológica do Município.

Vale ressaltar que a febre maculosa é uma doença que não é transmitida entre seres humanos. 

A contaminação da febre maculosa ocorre por meio da picada do inseto infectado com a bactéria Rickettsia, carregada como parasita em alguns tipos de carrapato, como o carrapato-estrela. 

O Brasil está em alerta com a febre maculosa depois que a doença matou quatro pessoas que compareceram a uma festa na Fazenda Santa Margarida, em Campinas (SP), estado que faz fronteira com Mato Grosso do Sul.

Dados da Sesau apontam que a última notificação de febre maculosa em Mato Grosso do Sul ocorreu em 2018. No período entre 2012 e 2022, foram seis registros da doença.

Amostras serão enviadas para SP

A criança que viajou para o interior do Estado e teve contato com animais na área urbana e rural apresentou sintomas como febre, náuseas, dores no corpo e vômitos. De acordo com a Sesau, diversos exames foram feitos para obter um diagnóstico preciso sobre o quadro clínico do paciente.

Além disso, uma primeira amostra foi coletada no dia da notificação e encaminhada para o Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública), em Campo Grande. 

Já uma segunda coleta deve ser realizada no intervalo de 15 dias. As duas amostras serão enviadas simultaneamente ao Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, para análise. O laboratório paulista foi o responsável por fazer a confirmação das mortes pela doença.

Assim, o resultado que apontará se a criança de Campo Grande com suspeita de febre maculosa tem ou não a doença não deve ser divulgado antes de duas semanas.

O que é a Febre Maculosa?

A Febre Maculosa é uma doença infecciosa, febril aguda de gravidade variável, podendo apresentar formas clínicas leves e atípicas até formas graves, com elevada taxa de mortalidade.

São as grandes chances de óbitos que causam maior preocupação entre especialistas sobre um possível surto da doença. Para o doutor em biologia molecular, Renato Andreotti, também pesquisador da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), cerca de 40% dos diagnósticos positivos da doença resultam em morte.

“Isso os que foram diagnosticados, alguns só descobrem a doença após a morte”, comentou o pesquisador. “O agente é de baixa circulação, mas de alta virulência, tendo uma evolução rápida, podendo levar à morte”, complementou.

Isso ocorre, pois os sintomas da Febre Maculosa possuem grande semelhança com a Dengue. Entre eles estão:

  • Febre
  • Náusea e vômito
  • Mialgia (dor muscular)
  • Exantema máculo-papular, petéquia, equimoses (manchas avermelhadas) e hemorragias
  • Diarreias (menos comum)

“Se a pessoa não avisar ao médico que foi picada por um carrapato, o profissional pode pensar se tratar de um caso de dengue”, complementa Andreotti.

Fui picado por um carrapato, o que fazer?

Antes de entender quais os procedimentos em casos de picadas de um carrapato, é importante saber como evitar que os parasitas tenham contato com nossa pele.

Conforme a Embrapa, alguns cuidados podem ser tomados ao frequentar locais com maior probabilidade de carrapatos, como parques, áreas rurais e beiras de rios.

Confira as dicas:

  • Usar roupas com mangas longas, botas e calça comprida (com a parte inferior colocada para dentro das meias).
  • Utilizar roupas claras (para facilitar a visualização de carrapatos).
  • Após utilização, colocar as roupas em água fervente para a retirada dos carrapatos.
  • Ao encontrar um carrapato no corpo, retirá-lo o mais rápido possível com uso de uma pinça, para que seu conteúdo não seja inserido no nosso corpo ou seus ‘dentes’ não fiquem grudados na pele.
  • Após retirar o carrapato, colocá-lo em um frasco com álcool 70% nunca esmagar o carrapato entre as unhas para evitar contaminação.
  • Caso a pessoa apresente os sintomas da Febre Maculosa, procurar um médico e informá-lo sobre o contato com o carrapato.

Outras informações sobre a Febre Maculosa podem ser encontradas no site do museu do carrapato, clique aqui.