Vacinação infantil: 166 crianças foram internadas por SRAG no HRMS

Os números são contabilizados desde o início da pandemia
| 20/01/2022
- 22:03
Após o avanço da vacinação adulta
Após o avanço da vacinação adulta, índice de casos confirmados em crianças reduziu em 82,4%. - Arquivo/Midiamax

A vacinação em crianças se mostra cada vez mais importante para a melhoria do cenário de contágio e internações por covid-19 em Mato Grosso do Sul. O HRMS ( Regional de Mato Grosso do Sul) já registrou 166 internações de crianças de 0 a 11 anos por SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave), sendo 62 delas positivas para covid-19 e 7 óbitos. Os números consideram o cenário desde o início da pandemia. 

Apesar do receio de alguns, a vacinação da população geral já vem mostrando resultados no número de internação de crianças. De acordo com assessora técnica da presidência do HRMS, Dra. Marielle Alves Correa Esgalha relata que durante a pandemia cerca de 37% das crianças internadas no hospital positivaram para covid-19, entretanto, no início de 2022 este percentual caiu para 6,5% e que a melhoria no cenário se deve a imunização dos adultos. A redução no número de casos confirmados foi de 82,4%.

A princípio, as taxas de letalidade eram altas entre os idosos, e por este motivo, estes eram tratados como grupo mais crítico. No entanto, os números de contágios na faixa etária de 5 a 11 anos de idade revelam que as crianças também são grupo vulnerável. O médico pediatra Dr Alberto Cubel Brull Jr. esclarece que vários estudos foram formulados, mas ainda não há comprovação científica do motivo das crianças serem assintomáticas ou apresentarem menos sintomas. “O que sabemos, com certeza, e que os estudos revelam, é que crianças de 5 a 11 anos, que tiveram contato com a covid-19, tem taxa de alteração no soro iguais ou superiores a de adolescentes ou adultos”, explica. 

O médico pediatra ressalta a importância da vacinação em crianças, considerando o cenário de crescimento da variante Ômicron. “Olha a importância da vacinação: o imunizante vai impedir que nossas crianças sejam transmissoras do vírus. Ela é altamente contagiosa, e do mesmo modo que age no organismo dos adultos, vai agir em crianças, que serão igualmente infectadas com a Ômicron, isso fortalece ainda mais a tese da vacinação em crianças”, informa. 

Além disso, Dr. Cubel também destaca que a imunização das crianças é fundamental para o fator de transmissibilidade da doença. “Vale lembrar que as crianças têm papel de vetor na transmissão da doença, pois mesmo com poucos sintomas ou assintomáticas, elas levam a doença para casa e transmite aos familiares sem saber. Daí a importância da vacinação: Elas são fonte de transmissão e ficam doentes; pois criança pega covid, sim. Nós tivemos inúmeros casos de crianças e adolescentes hospitalizados no HRMS, inclusive com óbitos, e isso é muito preocupante”, reitera.

Com a volta às aulas nas escolas, a vacinação das crianças se torna determinante para um cenário mais ameno em relação ao índice de contágio. O secretário de saúde, reforça que essa é uma medida essencial. "Neste momento abrupto da doença, a vacinação de crianças é uma medida necessária. Principalmente na iminência do retorno as aulas. As vacinas já mostraram a sua eficácia contra a doença", declara. 

 

Veja também

Três crianças foram atropeladas por motorista na Avenida das Bandeiras

Últimas notícias